Por orientação de seus advogados, Guerrero não irá participar do Lance de Craque

A pena imposta pelo TAS ao jogador peruano se encerra somente em abril de 2019, até lá por precaução, o jogador deve evitar qualquer tipo de atividade relacionadas ao futebol.

Por
Compartilhe

Um dos convidados para o jogo beneficente de D’Alessandro – denominado de “Lance de Craque”, que nos últimos anos ajuda inúmeras entidades espalhadas pela capital gaúcha, não irá participar da partida por precaução jurídica.

Estamos falando de Paolo Guerrero, que mesmo convidado por seu companheiro de clube, foi orientado por seus advogados a não participar do evento, mesmo que esse seja em “caráter amistoso” – tudo em virtude da pena imposta pelo Tribunal Arbitral do Esporte – TAS.

Paolo Guerrero em uma das audiências na Suíça.Paolo Guerrero em uma das audiências na Suíça.

O centroavante colorado cumpre pena de 14 meses de suspensão após ter sido flagrado em um exame antidoping, durante as Eliminatórias para a Copa do Mundo – segundo a acusação, o jogador foi flagrado com metabólito da cocaína em seu organismo, em outubro de 2017, na partida diante da Argentina, em Buenos Aires.

A pena imposta pelo TAS ao jogador peruano se encerra somente em abril de 2019, até lá por precaução, o jogador deve evitar qualquer tipo de atividade relacionadas ao futebol. Segundo os juristas que cuidam do caso de Paolo Guerrero, esperam eles que o recurso impetrado junto a Corte Máxima na Suiça seja analisado nas próximas semanas, ainda antes do final do ano – ação essa que o liberaria para volta a exercer sua atividade profissional.

A defesa do centroavante peruano pedem a nulidade da decisão do TAS, alegando que o hotel onde o atleta teria ingerido um chá contaminado foi quem gerou o exame positivo, fornecendo informações falsas a Agência Mundial Antidoping – Wada.

Guerrero que após não acertar sua renovação com o Flamengo, na metade da temporada, após a Copa do Mundo, acabou acertando um contrato com o Internacional por três temporadas, mas dias antes do jogador estrear com a camisa de seu novo clube, em 23 de agostos, teve seu efeito suspensivo revogado pela Justiça da Suíça.

Caso seus advogados não consigam a revogação da pena, neste recurso que aguardam resposta, o jogador poderá voltar ao convívio de seus colegas somente 40 dias antes de acabar a sua pena, ou seja, no final de fevereiro.

Mais sobre: paolo-guerrero tas futebol
Comentários