Thiago Motta do PSG comunica aposentadoria dos gramados

Thiago Motta que nasceu em São Bernardo de Campo, no interior de São Paulo, jamais atuou como profissional no futebol brasileiro, vindo a se profissionalizar no Barcelona no início de 2000.

Por
Compartilhe

Segundo as últimas informações veiculadas ao site “globoesporte.com”, o ítalo-brasileiro Thiago Motta, do Paris Saint-Germain, pode estar deixando o futebol ao final da temporada europeia para iniciar a carreira de treinador, onde o mesmo começaria a comandar a equipe sub-19 do clube francês.

O volante que é brasileiro, mas naturalizado italiano poderá nesta terça-feira erguer seu último troféu como jogador profissional no confronto diante do Les Herbiers – pela Copa da França.

Thiago Motta - volante do PSG.Thiago Motta - volante do PSG.

Com sete anos de clube, Thiago Motta foi quem comunicou nesta última segunda-feira a sua provável aposentadoria. Aos 35 anos, o volante até mesmo já comunicou que poderá comandar a equipe sub-19 do PSG assim que pendurar as chuteiras.

“Passei bons anos aqui. O Paris Saint-Germain com certeza será meu último clube em minha carreira. Espero jogar na quarta, pois esse com certeza poderá ser meu último troféu na temporada. Temos que vencer para terminar bem, ainda mais considerando o adversário. nós o respeitamos muito, mas é o PSG que tem tudo a perder”, declarou o volante ao jornal francês “L’Equipe”.

Thiago Motta que nasceu em São Bernardo de Campo, no interior de São Paulo, jamais atuou como profissional no futebol brasileiro, vindo a se profissionalizar no Barcelona no início de 2000. Após a sua profissionalização, o jogador se transferiu para a Inter de Milão, passando também por Atlético de Madrid, Genoa até chegar ao Paris Saint-Germain. O volante conquistou durante esses seus anos de jogador profissional, duas Champions League – Barcelona, em 2006 e Inter de Milão, em 2010.

Em 2003 ele chegou a defender a seleção brasileira na Copa Ouro – time formado por jogadores sub-23 e devido uma lesão em 2004, acabou ficando de fora do time que foi representar o país nas Olimpíadas daquele ano.

Com o fracasso da seleção brasileira nas Olimpíadas de 2004, acabou não sendo mais chamado para representar a seleção brasileira e como tinha dupla nacionalidade, então pediu autorização a FIFA para defender a Itália a partir de 2011, sendo que desde então, jogou 30 partidas com a camisa da “Azzura”, vindo a disputar as Eurocopas de 2012 e 2016; além destas, participou da Copa do Mundo de 2014, no Brasil vestindo o “azul” da Itália.

Comentários