O ex-atacante do Milan - Robinho, não conseguiu convencer os juízes do Tribunal de Apelo de Milão no caso de estupro coletivo, ocorrido em 2013. Desta forma, o brasileiro fica muito próximo de ser apontado como culpado no referido caso, ao qual foi acusado em 2013, quando ainda atuava pelo time italiano.

Robinho ausente na sessão

Assim como fez em 2017, Robinho não compareceu ao Tribunal já aqui citado, na audiência que teve início exatamente às 8h (de Brasília - meio-dia na Itália). Pela legislação do país em questão, a presença do réu neste caso não é obrigatória.

Robinho deve recorrer da decisão em liberdade

Julgado e condenado em segunda instância, Robinho não será preso neste momento, uma vez que ele poderá recorrer da decisão e com isso ganhará mais algum tempo para tentar sua absolvição. A decisão em terceira instância pode levar até dois anos.

Como já aqui declaramos, Robinho seguirá em liberdade porque pode recorrer da decisão do julgamento desta quinta-feira e com isso o jogador brasileiro ganha a presunção de inocência assegurada até trânsito e julgado do referido processo. Caso Robinho entre com recurso, esse será julgado por uma espécie de "Superior Tribunal Federal" no Brasil; na Corte de Cassação da Itália.

Robinho e Santos

O atacante que fora anunciado como reforço do Santos no mês de outubro, por conta da repercussão negativa teve a sua contratação cancelada pelo "Peixe", que temeu perder seus principais patrocinadores. O jogador havia assinado um contrato válido por cinco anos com o time da "Vila Belmiro", mas por conta da pressão dos patrocinadores do time e divulgação de conversas sobre o caso, fizeram com que a direção logo depois de anunciá-lo, cancelasse seu contrato; acalmando a todos dentro do clube.