Decepcionados e sem perspectiva para o retorno do Gauchão - que estava marcado para ocorrer no dia 19 de julho, o elenco do Colorado deverá seguir os mesmos passos do seu co-irmão Grêmio e levar seus treinamentos para Santa Catarina.

Com o último posicionamento do Governador do Rio Grande do Sul - Eduardo Leite sobre o futebol no estado, que não libera os treinos coletivos aos clubes e disse que o futebol não é "importante" neste momento, frustraram as expectativas da comissão técnica e da direção do Inter, que passou a não esconder sua revolta com tal decisão.

Assim sendo, como já declaramos nesta matéria, o Colorado começa a pensar mais seriamente na possibilidade de transferir seus treinamentos para outro estado em que possa se trabalhar a forma coletiva e deve ser uma das principais pautas de reuniões durante essa semana ainda.

Mesmo já admitindo sair do Rio Grande do Sul para poder avançar em sua preparação para a temporada, a direção do Colorado continua acreditando que possa ser possível avançar nos trabalhos em Porto Alegre - mesmo em meio à pandemia do novo Coronavírus e mesmo após a confirmação de quatro casos de COVID-19 entre seus jogadores.

"Os coletivos são fundamentais. É onde você relaciona o tempo, espaço, decisão de jogo. Encontra um cenário real. Tomara que o mais rápido possível possamos ter treinos coletivos. É difícil só treinar sem poder jogar. Creio que seria mais que necessário, mas sinto que tomamos todos os cuidados possíveis", comentou Eduardo Coudet - técnico do Inter em entrevista durante essa semana.

Mesmo acreditando em um cenário diferente para as próximas semanas, o Inter retorna a campo nesta quinta-feira para seguir com sua preparação física no CT Parque Gigante, tomando um cuidado ainda mais redobrado depois de casos confirmados no Coronavírus em seu elenco.