Com determinação da Comissão Nacional de Clubes (CNC) e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o Sport Club Internacional confirmou na manhã desta quarta-feira a ampliação das férias de seus jogadores por mais 10 dias, assim sendo, os mesmos deverão voltar as "atividades" apenas no dia 02 de maio - uma vez que no dia 1º de maio é comemorado o dia do "Trabalhador".

A CNC e a CBF em reunião nesta última terça-feira, através de uma videoconferência chegaram à conclusão de que o período de férias dos jogadores brasileiros deveria ser estendido por mais 10 dias, com isso, a suspensão das atividades permanece até o dia 30 de abril, com retomada para o dia "1º de maio". Isso tudo foi decidido devido ao andamento da pandemia do novo Coronavírus, que ainda continua com uma alta incidência de contaminados em nosso país.

Com o aumento do tempo sem treinamentos e jogos, aumenta ainda mais a indefinição sobre a volta do futebol no Brasil e aqui entra também o calendário colorado, uma vez que todas as competições nacionais seguirão paralisadas neste momento.

Gramado do CT Parque Gigante permancerá sem receber a presença dos atletas pelo menos até o dia 1º de maio.
Gramado do CT Parque Gigante permancerá sem receber a presença dos atletas pelo menos até o dia 1º de maio.

Assim sendo, com a volta prevista para o dia 1º ou 2 de maio, os clubes ainda deverão receber pelo menos entre 10 a 15 dias para a realização de uma "nova" pré-temporada, ou seja, antes da metade do mês de maio dificilmente teremos qualquer tipo de competição em nosso país.

Com as férias prolongadas por mais 10 dias, a direção do Inter segue tentando costurar uma readequação salarial com seus atletas e segue conversando com as principais lideranças do elenco. Por outro lado, mas no mesmo sentido, o clube tenta minimizar o efeito da queda nas receitas neste período sem jogos.

Sem fluxo de caixa no momento, o Colorado trabalha para traçar planos de contenção para 30 a 90 dias sem atividades, o que poderá causar um certo atraso nos pagamentos das folhas salariais dos jogadores a partir deste mês; muito disso se devendo a ausência de renda com a bilheteria e a possível queda no quadro social do clube.