Depois de permanecer por 251 dias sem poder fazer o que mais gostava, visto uma suspensão imposta de FIFA por doping, Paolo Guerrero pisou no gramado do Beira-Rio pela primeira vez como jogador do clube gaúcho; sim, foi exatamente a 365 dias atrás que o atacante peruano pode finalmente defender as camisa do Colorado, onde desde então já marcou 25% dos gols marcados pelo Internacional neste período.

Ao todo, Guerrero já marcou 24 gols com a camisa vermelha e branca, em 49 partidas - desde 6 de abril de 2019; justamente no dia em que o Beira-Rio completava 50 anos de existência, na vitória por 2 a 0 sobre o Caxias, pelo Campeonato Gaúcho daquele ano.

Naquele 6 de abril de 2019, onde o Beira-Rio completava então 50 anos de história, em clima de festa, misturado a um clima de expectativa, enfim pintava no gramado o atacante peruano que vestiria pela primeira vez em uma partida oficial, a camisa 9 do Inter e foi dele o gol que abriria a vitória sobre o Caxias pelo Gauchão.

Paolo Guerrero - atacante do Internacional.
Paolo Guerrero - atacante do Internacional.

Com um gol marcado logo em sua estreia, o jogador caiu nas graças do torcedor e de lá para cá, virou o artilheiro isolado do time, flertando com um lugar no panteão de ídolos colorados, mesmo sem ainda ter conquistado o primeiro título pelo Internacional.

Conforme declaramos acima, Guerrero tem 25% dos gols marcados pelo Inter desde então, ou seja, 24 dos 89 gols marcados neste período pelo clube gaúcho, em 71 partidas. Mesmo aos 36 anos, o artilheiro alcança marcas que poderão ficar para a história do Inter e para a sua vida. Após marcar dois gols na vitória por 3 a 0 sobre a Universidad Católica, no Beira-Rio, ele se tornou no terceiro maior goleador do clube na história da Libertadores.

Mesmo tendo passado em branco nas finais diante do Athletico - pela Copa do Brasil, nas semifinais da Libertadores diante do Flamengo e na final do Gauchão para o Grêmio, Guerrero é um dos ídolos dos tempos atuais do Inter - tempos esses que ainda seguem incertos devido a pandemia do Coronavírus, lembrando que o futebol no país não tem, pelo menos por hora, uma data concreta para voltar.