Paolo Guerrero sofre nova derrota no tribunal suíço e segue suspenso até abril de 2019

Se o TAS tivesse aceito o recurso da FIFA e dos advogados do jogador, o mesmo estaria liberado para jogar ainda nestas duas últimas rodada pelo Brasileirão.

Por
Compartilhe

Com pouco mais de cinco meses a cumprir de suspensão – impetrado pelo TAS, na Suiça, pelo exame positivo de doping, nas Eliminatórias para a Copa do Mundo, o atacante Paolo Guerrero – jogador do Internacional, sofreu uma nova derrota nesta semana nos tribunais suíços.

Saiu nesta sexta-feira a resposta do “Tribunal Federal Suíço” a respeito de mais um pedido de redução da pena por parte dos advogados do atacante peruano e por parte da entidade máxima do futebol e a justiça do país europeu não amoleceu, rejeitando assim um recurso apresentado pela FIFA e pela defesa do atleta. Vale lembrar que a FIFA havia estabelecido uma suspensão de seis meses ao jogador, mas a Corte Arbitral do Esporte ampliou a mesma para 14 meses.

Paolo Guerrero conseguiu através de uma liminar da justiça da Suíça, a permição de representar o Perú, no Mundial da Rússia.Paolo Guerrero conseguiu através de uma liminar da justiça da Suíça, a permição de representar o Perú, no Mundial da Rússia.

Se o TAS tivesse aceito o recurso da FIFA e dos advogados do jogador, o mesmo estaria liberado para jogar ainda nestas duas últimas rodada pelo Brasileirão. Mas o tribunal federal suíço acredita que não pode aceitar e ainda deu um alerta que o caso se refere a uma disputa entre o atleta e o CAS. Vale lembrar que a decisão final do caso ainda não foi anunciada.

Desde que foi pego no exame antidoping pelo suposto uso de “benzoilecgonina”, em 5 de outubro do ano passado, sendo suspenso preventivamente pela FIFA. A punição por doping era de um ano, o que deixaria o atacante fora do Mundial de 2018, mas com um recurso na própria entidade máxima do futebol, a pena caiu para seis meses e com isso o jogador pode representar o Perú, na Copa do Mundo da Rússia; entretanto, o recurso foi derrubado e o CAS aplicou a ele uma pena de 14 meses. Semanas antes do Mundial da Rússia, o presidente do “Tribunal Federal da Suíça” concedeu ao atleta um efeito suspensivo provisório, o que permitiu ao atacante jogar a Copa do Mundo – o mesmo foi derrubado logo após o final do Mundial e desde lá o jogador vem brigando por sua liberdade de trabalho.

Mais sobre: paolo-guerrero tas fifa
Comentários