Dirigente colorado rebate declarações do árbitro Ricardo Marque Ribeiro

“O que ele relatou em súmula é algo que me deixa inconformado. Hoje os árbitros transformam as súmulas em verdades plenas e nós temos que a partir de então nos defender", diz Caetano.

Por
Compartilhe

Após reclamar dos erros de arbitragem depois do confronto diante do Santos, na última segunda-feira nos corredores dos vestiários do estádio Beira-Rio com o árbitro Ricardo Marque Ribeiro, o diretor executivo do Sport Clube Internacional – Rodrigo Caetano rebate os relatos da arbitragem em súmula.

No documento enviado a Confederação Brasileira de Futebol - CBF, o árbitro da partida afirmou que o dirigente colorado o chamou de “safado” e ainda declara que o mesmo fez gestos a ele com tom de ameaças. Porém, Caetano prontamente nega as acusações e se diz “inconformado” com tais relatos. Além do dirigente, o técnico Odair Hellmann também foi apontado na mesma por ter dito que a decisão do árbitro “decidiu o campeonato”.

Rodrigo Caetano deu uma coletiva para esclarecer o caso.Rodrigo Caetano deu uma coletiva para esclarecer o caso.

Em entrevista nesta última terça-feira no CT Parque Gigante, o diretor colorado deu a sua versão do caso, como pode ser vista abaixo:

“O que ele relatou em súmula é algo que me deixa inconformado. Hoje os árbitros transformam as súmulas em verdades plenas e nós temos que a partir de então nos defender. Em momento algum falei o que ele descreveu na mesma; onde ele descreve que eu o chamei de safado. Eu não faço isso com ele nem com ninguém. Jamais faria um negócio desses”, declarou Rodrigo Caetano.

Além deste comentário, o dirigente afirma que Ricardo Marques Ribeiro faltou com a verdade em seu relato e que o departamento jurídico do Internacional já está pronto para o defender caso seja denunciado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva – STJD. Lembrando o caso de Diego, do Flamengo, que recentemente foi a julgamento pelo mesmo motivo e foi absolvido.

“A maneira como ele estava; bastante alterado após o jogo acho que demonstra a consciência que ele teve de talvez ter errado em um lance capital do jogo. Mesmo assim não justifica os termos que veio a utilizar em súmula. No que for necessário, o clube irá me defender. Além de tudo isso não sei se de forma pejorativa, ele se referiu a minha situação atual, que infelizmente por conta de uma lesão, eu só tenho uma forma de me locomover de muletas. Mas ele não poderia ter feito nenhuma menção que, por conta das muletas, eu teria qualquer tipo de ação com a intenção de atingi-lo”, revelou Caetano.

A discussão do árbitro após o fim da partida nos corredores do Beira-Rio.A discussão do árbitro após o fim da partida nos corredores do Beira-Rio.

A discussão entre Caetano e o árbitro da partida após o apito final se deve muito pela anulação do gol marcado por Leandro Damião, o que causou muita irritação por parte dos dirigentes do clube gaúcho e do técnico Odair Hellmann. Ainda mais pelo tempo perdido para a arbitragem decidir qual medida tomar – o jogo teve parado por seis minutos em quanto à arbitragem tentava entender o lance a beira do gramado.

O Internacional volta a campo nesta próxima sexta-feira, diante do Vasco, no Rio de Janeiro, em partida válida pela 31ª rodada do Brasileirão.

 

Comentários