Rodrigo Caetano é apresentado de forma oficial no Internacional

Antes de ser confirmado pela direção colorada, Caetano também ouviu propostas de outros clubes, bem como a do Vitória e do Fluminense, mas preferiu aceitar o projeto colorado.

Por
Compartilhe

No final da manhã desta quinta-feira, Rodrigo Caetano foi apresentado de forma oficial no estádio Beira-Rio, pelo presidente do Internacional, Marcelo Medeiros; como o novo executivo de futebol do clube.

Rodrigo Caetano - ao centro, em sua apresentação ao lado de Marcelo Medeiros - esquerda e Roberto Melo - direita.Rodrigo Caetano - ao centro, em sua apresentação ao lado de Marcelo Medeiros - esquerda e Roberto Melo - direita.

Caetano trabalhará ao lado do vice de futebol – Roberto Melo na executiva de futebol colorado e logo em sua apresentação, o profissional já mostrou a que veio, com frases e palavras de impacto, destacando logo de cara o elenco colorado e a vontade de levar o clube de volta ao “protagonismo” no futebol brasileiro e mundial.

Após ser apresentado pelo mandatário colorado, Caetano se pronunciou e em entrevista coletiva, o novo dirigente do Internacional afirmou que o elenco do clube não deve nada a nenhum dos principais elencos que estão disputando a ponta do Campeonato Brasileiro.

“É muito importante você ter um elenco com um maior número de jogadores com excelência, que possa impor ao adversário o respeito que o Inter exige. Mesmo chegando em meio a uma temporada,  irei procurar colaborar com a comissão. O Colorado não deve a nível de elenco para essas equipes que postulam o título nacional. Essa questão de oscilação é quase que geral. Poucos clubes atualmente não oscilam. Isso requer tempo de trabalha para que se possa consolidar um grupo e um time. Entendo que o Inter tem que voltar a ser protagonista como sempre foi em sua história”, declarou Caetano em suas primeira palavras como funcionário do Sport Club Internacional.

Além de falar a respeito do elenco do time, o executivo ainda comentou sobre a fase que o time vem vivendo – que é de reconstrução, afirmando que o momento é o de recuperar a confiança da torcida com um bom desempenho para poder brigar pelo topo da Série A.

“O torcedor tem todo o direito de estar desconfiado. Não resta a menor dúvida que o torcedor tem esse direito. Cabe a nós da direção, de forma engajada, recuperar a autoestima, para que o torcedor perceba que estamos em um dos maiores clubes do futebol brasileiro e mundial. Não é aceitável que o clube não pense em coisas grandes. Isso é inadmissível. O torcedor só irá perceber isso, se passarmos essa ideia para ele. Mesmo estando de fora, a estrutura do clube é gigantesca. Se não, não teria feito a opção de aceitar essa responsabilidade. Não esse desafio. Tenho as melhores expectativas com o futuro do clube e do time. Existem estádios que dispensam comentários e o Beira-Rio é um desses; além desse maravilhoso estádio, o clube também tem um CT em muito boas condições. Em minhas caminhadas pelo Brasil, afirmo que vi maiores dificuldades que encontro hoje no Inter. O clube como um todo, está a um passo a frente de muitos. Com geração de receitas e redução de despesas como obrigações de um gestor, chego aqui para colaborar nesse sentido e nas demais áreas do clube, com o que puder colaborar, estarei aqui para ajudar”, finalizou.

Antes de ser confirmado pela direção do Internacional, Caetano também ouviu propostas de outros clubes, bem como a do Vitória e do Fluminense. Mas preferiu ele aceitar a do Inter, onde a partir desta quinta-feira, inicia uma nova era em um clube no estado onde nasceu.

Comentários