Com um espanhol bastante rebuscado, Miguel Ángel Ramírez é apresentado no Internacional. O treinador de 36 anos foi apresentado oficialmente pelos Colorados nesta tarde de sexta-feira, onde o mesmo voltou a falar em "dar espetáculo" para assim marcar seu nome no clube e no futebol brasileiro.

Apresentação

Ao lado do presidente Alessandro Barcellos e do vice de futebol João Patrício Hermann, Ramírez deu o tom de sua primeira coletiva com novo comandante técnico do Inter. Também esteve presente nesta solenidade, o executivo de futebol Paulo Bracks.

Discurso ambicioso

Em suas primeiras palavras com técnico colorado, Miguel Ángel Ramíres que chega com a ambição a altura do projeto a ele apresentado, diz que "chega quando tinha que chegar".

"Creio que o Inter chegou quando tinha que chegar. Às vezes não sabemos bem por que dois pontos têm que se encontrar. O clube pediu que não saísse antes do final da temporada. E foi um clube que me deu tudo. Fiquei até dezembro e depois perguntei se era possível ouvir propostas. O Inter chegou no tempo que tinha que chegar. Além do clube, me interessa muito as pessoas. Creio que o Inter tem as pessoas diferentes. Naturalmente, a grandeza deste clube e com as pessoas adequadas, tempo oportuno e o projeto", comentou o espanhol em sua apresentação.

Contrato

Miguel Ángel Ramírez e sua comissão técnica assinaram contrato até dezembro de 2022, aonde o mesmo não chega ao Beira-Rio sozinho, com ele também vem o auxiliar Martín Anselmi, o preparador físico Cristóbal Fuentes e o analista de desempenho Luis Piedrahita.

Tanto Ramírez com seus demais pares iniciam oficialmente a trabalha a frente da equipe colorada na próxima segunda-feira; com o grupo principal no CT Parque Gigante.

Miguel Ángel Ramírez no Mundial de Clubes 2006

Ainda durante sua apresentação, o técnico espanhol comentou quando conheceu o Inter de verdade.

"Eu vi ao vivo o jogo contra o Barcelona, que fez o Inter campeão do mundo. Eu vi o vídeo do Beira-Rio cheio de gente, que me arrepiou. Tomara que o mais rápido possamos desfrutá-los", se referindo a presença dos torcedores no estádio.

Para finalizar, o novo treinador comentou sobre sua adaptação ao Brasil

"Venho de uma ilha muito próxima da África, e cada dia chegam mais imigrantes em busca de refúgio. E lá há pessoas que acham que são donas dessa ilha só por terem nascido lá e negarem quem chega. Eu sou um migrante também e sempre me senti acolhido em cada país que estive. Mas também tentei me integrar a cada um deles. No Catar, aprendi árabe, tentei comer o que comem, fazer o que fazem, entender a cultura. No Uruguai e no Equador foi a mesma coisa. Aqui não será diferente. Às vezes há pessoas que acham que são donas de algum lugar. Começamos na próxima semana e avaliando certos comportamentos das respostas que têm para tomar decisões desse nível. Mas a bola é a mesma. Creio que estou preparado, e a comissão técnica está ainda mais do que eu. Estamos preparados para essa aventura", finalizou.