Lisca - técnico carrasco do Inter nesta edição da Copa do Brasil, com seu América-MG, em entrevista concedida ao canal de "Ramiro Ruschel" e publicada pela "Revista Colorada" revelou que está preparado para assumir o comando técnico do time gaúcho aqui em questão, caso a nova direção que será eleita em dezembro assim quiser.

Declarando ser amigo de Marcelo Medeiros e Rodrigo Caetano, ele acredita ter ido para o final da fila com a contratação de Abel Braga.

"Acredito que fui para o fim da fila, embora eu me relacione bem com essa direção. Marcelo Medeiro é meu amigo de surfe. Surfávamos muito, ele era um monstro e mandava muito bem nas ondas. O Alexandre Chaves Barcellos é meu primo de segundo grau e o Rodrigo Caetano foi meu colega. Temos um bom relacionamento, mas acabou que não tive essa chance. Nem no último ano, quando preferiram buscar o Zé Ricardo, nem agora quando veio o Abel Braga. Quem sabe com uma outra gestão, de pensamento de futebol, possa haver um pensamento no meu nome. Estou preparado", declarou o técnico do América-MG.

Críticas a Coudet

Nesta mesma entrevista, Lisca criticou a saída de Eduardo Coudet e mesmo querendo estar no lugar de Abel Braga, o elogiou.

"Caiu muito essa culpa pela queda de rendimento e na tabela sobre o Abel, mas o time já vinha caindo com Eduardo Coudet antes mesmo dele sair e no futebol, o treinador bom é aquele que deixa um legado e o time pronto para seguir jogando bem mesmo sem ele. Acredito que o Coudet viu que não conseguiria tirar mais nada desse time e pediu para sair. Treinador bom sai e deixa o time organizado. Não fica terra arrasada como ficou. Isso não é consistência. Porque esse desespero todo? O Inter era líder, estava nas quartas de final da Copa do Brasil, nas oitavas de final da Libertadores. Quer sair? Sai, mas deixa o time organizado. Não foi isso que se viu no Beira-Rio", completou ele.