Há mais de 80 dias sem clube, o atacante uruguaio Edinson Cavani está mais próximo do que nunca de definir o seu futuro. E, quem deve dar o "último passo" para esta situação é o seu companheiro de seleção uruguaia, Luis Suárez. De saída do Barcelona, Suárez deve ser anunciado ainda nas próximas horas como o novo reforço do Atletico de Madrid, que deve pagar cerca de 4 milhões de euros (R$25 milhões) em variáveis para contar com o jogador.

A última esperança de Cavani permanecer no futebol europeu era o Atletico de Madrid. Depois de negociar com vários clubes no continente (como Benfica, Tottenham e o próprio Atletico de Madrid), a equipe colchonera já havia estabelecida que Cavani seria a segunda opção no mercado, caso Suárez não chegasse a um acordo com a diretoria do Barcelona para a sua saída.

Sendo assim, esgotam-se as opções para que Cavani dê sequência a sua carreira no futebol europeu. Desde o primeiro contato dos dirigentes gremistas com o staff do jogador, a condição era bem clara: caso Cavani não tivesse opções na Europa, o retorno para a América do Sul seria o objetivo, e com isso, o Grêmio seria o único pretendente para a contratação do atacante de 33 anos.

A oferta do Grêmio para contar com Cavani

Para contratar Cavani, o Grêmio montou uma grande operação, principalmente na formação de um projeto que atenda as pedidas do jogador também fora de campo. Além de todo o projeto oferecido dentro de campo, com o ideal de ser a referência técnica do time e do futebol brasileiro, a montagem de uma operação fora de campo pode pesar na decisão do atacante.

No quesito financeiro, a proposta tricolor também é muito tentadora. A proposta foi de 3,5 milhões de euros (aproximadamente R$22 milhões) por temporada, que faz a oferta salarial ser de R$1,7 milhão, livre de impostos. Além do salário fixo, há diversos gatilhos no contrato do jogador, que envolvem desempenho individual e do time nas competições da temporada.

Outro ponto importante é a ajuda de investidores externos. Para o pagamento de salários, 4 parceiros aceitaram participar da operação pela contratação de Cavani. Em contrapartida, os investidores terão retorno em questões comerciais envolvendo o jogador, além de outras situações mantidas em sigilo pelo clube.

Mesmo com toda a cautela pública, o ambiente interno sobre a negociação é de muito otimismo. O Grêmio está muito confiante, naquela que pode ser a maior contratação da história do tricolor gaúcho. A novela está bem próxima de um fim.