No último sábado, o Grêmio oficializou a venda do meia Luan ao Corinthians. Após algumas semanas de negociações, o tricolor gaúcho irá receber a quantia de cerca de R$22 milhões, além de quitar o saldo devedor referente à compra do lateral-esquerdo Juninho Capixaba, que foi comprado em definitivo no início do ano.

Sendo assim, com a saída de Luan, o Grêmio deve avaliar o mercado e negociar com algumas opções com menor custo. A primeira tentativa de reposição foi Raphael Veiga, que está sem espaço no Palmeiras, mas a alta pedida salarial do jogador impossibilitou um acordo. Além disso, a indefinição por parte do Palmeiras sobre o aproveitamento do meia em 2020 fez com que o Grêmio recuasse nas tratativas.

Outro nome que foi avaliado pela diretoria gremista é o do meia argentino Pitty Martínez, que foi eleito o melhor jogador da América em 2018 com a camisa do River Plate e atualmente atua no Atlanta United, dos Estados Unidos. Entretanto, a alta pedida do clube norte-americano fez com que o negócio se tornasse praticamente impossível.

Sendo assim, a grande esperança para o setor de meio-campo é Jean Pyerre, que foi titular durante boa parte da temporada. Além disso, o Grêmio trabalha com a evolução de Patrick, que vem ganhando cada vez mais oportunidades em 2019, e teve boas atuações.

O rendimento de Jean Pyerre já o colocou na mira do futebol europeu. O Monaco observou, mas não chegou a apresentar uma proposta oficial ao Grêmio. Com contrato até 2023, o meia tem uma multa no valor de 120 milhões de euros (R$ 548,4 milhões).