Mesmo desfalcado, o Grêmio foi superior ao Vasco. De fato, nem a falta de entrosamento de um time completamente descaracterizado conseguiu fazer com que o esforçado time de Vanderlei Luxemburgo fosse capaz de fazer frente ao tricolor. Entretanto, boa parte da superioridade gremista tem a ver com um fator: Seu camisa 11.

Éverton foi decisivo, mais uma vez. Mesmo que estivesse apagado nas partidas mais importantes do ano, diante do Flamengo, Éverton parece ter feito as pazes com o bom futebol. 2 gols nas últimas 2 partidas, e a retomada do protagonismo necessário para que o time de Renato Portaluppi esteja mais vivo do que nunca por uma vaga na próxima edição da Libertadores.

Mesmo que tenha ido bem diante de um adversário fraco tecnicamente, as boas atuações eram necessárias para a confiança voltar. Ainda mais perto do clássico Gre-Nal, onde pode ser o lampejo técnico em uma partida que promete ser muito dura. De fato, o Grêmio vem retomando seu melhor futebol ao mesmo tempo que seu principal jogador volta a ser efetivo, e isto não é por acaso.

Com o gol de ontem, o atacante gremista chegou aos 19 gols na temporada, representando cerca de 18% dos gols do time no ano. Mesmo sem contabilizar as assistências, é um índice alto para apenas um jogador, que vai cada vez mais justificando o seu papel tanto no clube quanto na seleção. Mesmo que seja muito mais time, a vitória diante do Vasco era necessária para a confiança voltar ao time do Grêmio, definitivamente. Agora, tudo é Gre-Nal, mas se jogar o que sabe, o time gremista é amplo favorito, e pode colocar um pé na vaga para a Libertadores 2020.