Mesmo com o grande momento de recuperação no Campeonato Brasileiro, o Grêmio volta a ter que conviver com um velho problema antes dos principais jogos da temporada, como a semifinal da Copa Libertadores da América, onde enfrenta o Flamengo: o alto número de lesões do time titular.

A recente lesão do meia Jean Pyerre, que acusou estiramento na coxa no treinamento da última sexta-feira, trouxe novamente um debate que vem assombrando o time de Renato Portaluppi: Qual o motivo de novamente o Grêmio sofrer com problemas em seu departamento médico às vésperas da partida do ano?

Antes de falarmos sobre esta temporada, é necessário voltar no tempo. Sendo assim, vamos até o fim de 2018, onde o Grêmio foi eliminado pelo River Plate, na semifinal da Libertadores. Naquela ocasião, o time teve problemas de contusões com Luan e Éverton, que na época já eram os principais jogadores da equipe. Até por isso, o Grêmio entrou em campo com Cícero e Alisson, e Éverton entrou em campo no segundo tempo, mas não conseguiu evitar a eliminação.

Desta vez, entretanto, os problemas são ainda maiores, onde 3 titulares (Geromel, Jean Pyerre e Leonardo) estão entregues ao Departamento Médico. Além deles, o lateral-esquerdo Bruno Cortez será reavaliado após sentir desconforto na panturrilha na partida diante do Santos, no último sábado. Outros jogadores que estão lesionados são o atacante Felipe Vizeu e o lateral-esquerdo Léo Moura. Confira abaixo a relação dos lesionados no Grêmio:

Sendo assim, o clube trabalha para poder contar com pelo menos 2 atletas titulares antes da partida de ida contra o Flamengo, no dia 2 de outubro. A tendência é de que Cortez entre em campo, mas ainda não se sabe se Geromel ou Jean Pyerre consigam estar em condições de atuar pelo menos no jogo da volta, no dia 23 de outubro.