Para confirmar a classificação para as oitavas da Libertadores, Grêmio recebe a Universidad Católica

Com a exceção de Matheus Henrique, suspenso, o Grêmio terá força máxima diante da Universidad Católica. Tricolor pode empatar para se classificar às oitavas da Libertadores.

Por Talis Andrey de Mello
Compartilhe

Após a fatídica derrota para o Fluminense, no último domingo, o Grêmio muda o seu foco e agora, a prioridade é a Copa Libertadores da América. Nesta quarta -feira, o tricolor recebe a Universidad Católica, do Chile,às 19h15, e precisa apenas de um empate para confirmar sua classificação para as oitavas de finais da competição continental.

O tricolor terá praticamente força máxima para o jogo de hoje à noite, com exceção do meia Matheus Henrique, que levou o terceiro cartão amarelo na partida diante do Libertad, no Paraguai, e cumpre suspensão na partida desta quarta-feira. Michel e Thaciano brigam pela vaga. Entretanto, Michel deve ser o titular. 

Sendo assim, o Grêmio deve ir a campo com: Paulo Victor no gol; Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez na defesa; Maicon, Michel, Jean Pyerre, Éverton e Alisson no meio campo; André no ataque. 

Em entrevista coletiva na tarde da última terça-feira, o técnico Renato Portaluppi comentou sobre a derrota para o Fluminense no último domingo, e projetou o duelo desta quarta-feira:

– Não sei se vamos contar a palavra hoje. Tive uma conversa muito boa hoje de 1h30 com o meu grupo. E colocar para você que o "dar mole" é muito fácil de corrigir. Já comecei a corrigir hoje. Minha equipe nunca deu esse mole todo. Em um ou outro jogo, inclusive o domingo, os três jogos do Brasileiro, a gente deu esse mole todo. Por outro lado, todo mundo se apegou à palavra "dar mole". Eu fiz justamente esse gesto aqui para o meu grupo hoje (palmas). Meu grupo deu uma aula de futebol. O dar mole, a gente corrige. Comprar futebol, ninguém compra. Meu time é o melhor do Brasil. O meu time joga o melhor futebol do Brasil – declarou.

Renato Portaluppi projetou o duelo desta quarta-feira. (Foto: Eduardo Moura)Renato Portaluppi projetou o duelo desta quarta-feira. (Foto: Eduardo Moura)

– Dar mole é parar de correr, deixamos de fazer o que combinamos. Sufocar , marcação espelhada, não deixar o time deles jogar. Pressionamos, fizemos o que combinamos e conseguimos fazer três gols em 30 minutos. Aí deixamos de marcar, correr, começamos a querer só a bola no pé. Aí é dar mole. Se continua fazendo a mesma coisa, não tenho dúvidas que ia ser cinco ou seis normalmente. Achamos que estava decidido. Não tem outra explicação. Para quem entende de futebol, se tem cinco que deixam de fazer as coisas, estoura lá atrás. Passou na cabeça de alguns que estava decidido. Colocamos tudo que fizemos no lixo, algumas pessoas colocaram, mas eu não posso colocar no lixo – destacou.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal