O maior nome da história do Grêmio teve seu ciclo encerrado. Na tarde desta quinta-feira (15), o clube anunciou oficialmente a saída do técnico Renato Portaluppi após mais de 4 anos de vínculo. Contratado pelo tricolor em setembro de 2016 após a saída de Roger Machado, Renato acumulou momentos históricos com o clube em que fez história também como jogador.

E, além de tudo o que fez dentro de campo, Renato também marcou seu nome na história do Grêmio como técnico. Com as conquistas da Copa do Brasil de 2016, a Copa Libertadores da América de 2017, da Recopa Sul-Americana de 2018, além do Campeonato Gaúcho nos anos de 2018, 2019 e 2020.

Além disso, o técnico tricolor soma ótimos números na casamata tricolor. Foram 182 vitórias, 82 empates e 63 derrotas, tendo um total de 61,6% de aproveitamento em sua 3ª passagem pelo clube.

Entre os momentos mais marcantes, estão a derrota na grande final do Mundial de Clubes da FIFA, onde o time foi derrotado pelo Real Madrid, pelo placar de 1x0, com gol marcado por Cristiano Ronaldo.

Outro momento histórico de Renato no Grêmio foi a conquista da Copa Libertadores de 2017. Na ocasião, Renato se tornou o único brasileiro a conquistar a competição como técnico e também como jogador.

O ponto crucial para a saída de Renato Portaluppi foi, entre outros pontos, a queda para o Independiente del Valle na 3ª fase preliminar da Copa Libertadores. Além disso, o desgaste com parte da diretoria e as críticas da torcida também pesaram dentro do contexto atual.

Agora, o Grêmio mira outros nomes para substituir Renato Portaluppi. Thiago Nunes e Guillermo Barros Schelotto são os favoritos para assumir o comando do clube, e Lisca foi oferecido através de empresários.