Um ciclo chegou ao fim. Após mais de 4 anos, o técnico Renato Portaluppi se despede do comando técnico do Grêmio. A eliminação para o Independiente del Valle, na 3ª fase preliminar da Copa Libertadores da América foi o ponto crucial para que a opção da diretoria tricolor fosse tomada logo no início desta quinta-feira (15).

Logo após a eliminação, o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan Jr. ligou para Renato Portaluppi, para tratar sobre o futuro da equipe nas próximas semanas. Na ocasião, a demissão não foi cogitada entre as partes.

Já na manhã desta quinta-feira (15), o mandatário gremista se reuniu com os 6 vice-presidentes do clube, além de Carlos Amodeo, CEO e atualmente, diretor executivo de futebol. Entre diversos temas, o ponto principal de debate foi a permanência ou não do técnico.

Segundo informações do jornalista Diogo Rossi, os dirigentes estariam divididos sobre a questão Renato. Entre eles, Cláudio Oderich e Marcos Hermann seriam a favor da demissão, enquanto Adalberto Preis e o presidente Romildo Bolzan eram a favor da permanência. Paulo Luz e César Peixoto optaram por lealdade em caso de qualquer decisão tomada por Romildo Bolzan Jr.

A reunião, que aconteceu na Arena do Grêmio, durou até perto dàs 13h. Depois disso, e com a decisão tomada, o presidente tricolor se dirigiu até o CT Luiz Carvalho, onde se manifestou oficialmente sobre o desligamento do técnico com mais jogos na história do clube.

Renato Portaluppi dirigiu o Grêmio em 419 partidas. Desde setembro de 2016, o treinador conquistou a Copa do Brasil de 2016, a Copa Libertadores da América de 2017, além da Recopa Sul-Americana de 2018, além do Campeonato Gaúcho nos anos de 2018, 2019 e 2020.

Com a eliminação na Libertadores, o Grêmio está automaticamente classificado para a fase de grupos da Copa Sul-Americana. O tricolor está no grupo H da competição, juntamente com a La Equidad, o Aragua-VEN, e o Lanús, da Argentina. A estreia do time na competição continental será no dia 21 de abril, diante da La Equidad, em casa.