Aquilo que parecia iminente está próximo de se confirmar oficialmente. Grêmio e Porto já admitem publicamente a negociação para a venda do atacante Pepê à equipe portuguesa.

Ao longo do último mês, após longas tratativas entre as direções dos times, os clubes chegaram a um denominador comum, em âmbito financeiro, para a transferência do jovem ponta esquerda.

Porto pagará valor milionário por Pepê

Para adquirir o futebol do atacante gremista, o Porto pagará 15 milhões de euros, convertendo para o real, cerca de R$ 97 milhões. Por ser dono de apenas 70% dos direitos econômicos de Pepê, o Tricolor Gaúcho ficará com, aproximadamente, 68 milhões de reais. O restante do valor irá para o Foz do Iguaçu, clube paranaense dono dos 30% restantes do jogador.

Grêmio ficará com porcentagem de mais-valia

Além de vender Pepê por 15 milhões de euros, conforme acordado na negociação com o Porto, o Grêmio terá direito a 12,5% da chamada plus-valia. Basicamente, em um cenário hipotético, caso o Porto revenda o atual atacante gremista por 30 milhões de euros, o Tricolor Gaúcho terá direito a 12,5% da diferença de venda, neste caso, da diferença equivalente a 15 milhões de euros.

O pagamento, diferente do que a direção gremista pretendia, não acontecerá a vista. A quitação está prevista para acontecer de maneira parcelada, para ser específico, através de 3 parcelas, com a última sendo em 2022.

Veja o que falta para o negócio ser oficializado

Com as condições gerais de negocição acertada entre Grêmio e Porto, apenas duas questões, consideradas simples, estão pendentes para que a venda de Pepê ao time português seja confirmada. Por parte do clube gaúcho, as garantias bancárias dos portugueses estão sendo aguardadas.

Através das garantias, por mais que a quitação esteja prevista para acontecer de maneira parcelada, ao recebê-la, o Grêmio deve entrar em contato com uma instituição financeira para receber o valor total do negócio em 2021.

Outra pendência é em relação a questão física de Pepê. Como o atacante permanecerá em Porto Alegre até julho, haverá uma apólice de seguro, pré determinada em contrato, para cobrir um eventual prejuízo que o Porto tenha com qualquer lesão de Pepê.