O clássico Grenal 429 do último domingo, que acabou com vitória do Internacional por 2x1, colocando, assim, término na sequência de 11 clássicos de invencibilidade do Grêmio, continua tendo grande repercussão, principalmente, pelo gremista.

Vendo o maior rival caminhando a passos largos para a conquista do tetracampeonato do Brasileirão e, em contrapartida, o Grêmio se afastando cada vez mais da briga do título do Campeonato Brasileiro, a manhã desta segunda-feira, de pós-Grenal, foi caracterizada por fortes declarações da diretoria gremista.

Dirigente fez duras críticas à arbitragem

Em entrevista concedida à Rádio Pachola, Cláudio Oderich, atual vice-presidente do Conselho de Administração do Clube, fez fortes críticas à arbitragem, porém salientou que o Grêmio não vem atuando bem há um bom tempo.

"É muito simples a gente ficar avaliando só a questão do VAR. Tem um lance que foi exatamente igual em Inter x Juventude, onde a bola bate no braço do zagueiro do inter e ele falou que não era".

"Se a gente for só por esse lado da arbitragem, do VAR, vamos afundar. O Grêmio não vem jogando bem há algum tempo", completou o dirigente gremista.

Após a derrota no clássico Grenal, pela forma polêmica com que ocorreu, o técnico Renato Portaluppi abriu a possibilidade do clube utilizar o grupo de transição nos jogos restantes do Brasileirão.

Vice-presidente é contrário à utilização da Transição no restante do Brasileirão

Entretanto, segundo declarou Oderich, é o momento de olhar com calma a situação do time, sem cabeça quente. O dirigente frisou que o Grêmio ainda disputa uma vaga no G-4, e que uma classificação para a pré-libertadores seria trágica ao planejamento de preparação do time.

"Temos que olhar com calma, sem cabeça quente, estamos há poucos dias de uma decisão importantíssima podendo ser Hexa da Copa do Brasil. Ainda disputamos uma vaga direta para a Libertadores. A ida para a pré-libertadores seria trágica para a preparação do time".

Ainda conforme Oderich, a questão anímica da equipe preocupa, pois o time não ganha "nenhuma dividida".

"Grêmio precisa mudar a questão anímica, parar de tirar o pé. Isso me preocupa. Não ganhamos nenhuma dividida de bola."