O assédio europeu em jogadores oriundos das categorias de base do Grêmio, ao longo das últimas temporadas, vem sendo uma constante. Desde 2016, ano da conquista gremista do pentacampeonato da Copa do Brasil, o clube se caracteriza, além da competitividade em âmbito prático, pela venda de jovens atletas, com os negócios envolvendo valores extremamente elevados.

Por mais que o atual plantel gremista conte com outros grandes jogadores, como Matheus Henrique e Jean Pyerre, o "bola da vez" que está na mira dos europeus é o atacante Pepê.

Considerado o melho jogador do elenco desde a venda de Everton Cebolinha ao Benfica, Pepê já havia recebido sondagem de clubes do exterior antes mesmo de consolidar a titularidade. Recentemente, nas últimas janelas de transferência, o jovem ponta esquerda esteve na mira do Wolfsburg, da Alemanha, Roma, da Itália, Wolverhampton, da Inglaterra, e, principalmente, Porto, de Portugal.

Confira o atual contrato de Pepê

Após a venda de Everton ao Benfica, visando se precaver, o Grêmio renovou com Pepê até o final de 2024, concedendo valorização salarial e aumentando a multa rescisória para 150 milhões de euros. O Tricolor Gaúcho possui 70% dos direitos econômicos do atacante. Os 30% restantes, pertencem ao Foz de Iguaçu, clube parananese que revelou Pepê ao futebol.

Grêmio nega, mas possui proposta por Pepê

Por mais que a direção gremista negue que recebeu proposta oficial por Pepê, conforme apuração, o clube possui oferta oficial do Zenit, da Rússia, pelo jovem ponta esquerda.

A proposta é de 20 milhões de euros, valor que a direção considera o ideal pelo atacante. Além da oferta agradar o clube em âmbito financeiro, o time russo ainda propôs receber Pepê apenas na janela do meio do ano, possibilitando com que, por exemplo, o atleta possa atuar nas finais da Copa do Brasil.

Porto não pretende aumentar a oferta

O Porto, de Portugal, ainda não enviou ao Grêmio a proposta oficial por Pepê, através do papel timbrado, porém, em conversas com o clube gaúcho, externou o valor que está disposto a pagar: 15 milhões de euros, com o Grêmio ficando com porcentagem de uma futura venda de Pepê.

Mesmo tendo o conhecimento que o Zenit propôs pagar 20 milhões de euros, a equipe portuguesa não está disposta a aumentar sua oferta. O Porto conta com uma grande questão a seu favor: a vontade de Pepê.

Por mais que a proposta do Zenit seja mais vantajosa, tanto para o Grêmio, quanto para o próprio Pepê, em âmbito salarial, o atacante não possui o desejo de se transferir à Rússia, principalmente, pela pouca visibilidade que o futebol do país têm. Em contrapartida, o jogador dá prioridade em uma transferência à Portugal.