Em mais um ano de Renato Portaluppi a frente do comando técnico do Grêmio, assim como nas temporadas anteriores, o clube conseguiu ser competitivo na prática, estando presente nas fases de afunilamento das competições mata-mata, estilo de torneio preferido pela instituição.

Como de costume, o ano de um grande clube, como é o caso do Grêmio, não se limita somente ao resultado dentro de campo. Por mais que o time tenha conseguido manter a hegemônia no estado, conquistando o tricampeonato do Gauchão, o ano de 2020 ficou caracterizado por irregularidade, profundas mudanças internas e, até mesmo, desconfiança por parte dos torcedores, em determinados momentos da temporada.

Reformulação interna foi promovida

Logo no início de 2020, o Grêmio promoveu importantes mudanças em sua estrutura interna. Nos primeiros dias de janeiro, o clube gaúcho comunicou o desligamento de sete profissionais.

Na ocasião, o departamento de futebol decidiu pelas saídas da nutricionista Katiuce Borges, dos fisiologistas José Leandro e Rafael Gobbato, do fisioterapeuta Henrique Valente, do preparador de goleiros Rogério Godoy, do preparador físico Rogério Dias e do assessor de imprensa João Paulo Fontoura.

Para seus lugares, foram contratados o nutricionista Guilherme Oliveira, que estava no Cruzeiro, o fisiologista Marco Aurélio Mello, os fisioterapeutas Felipe Coimbra e Marcos Ganga, o preparador de goleiros Mauri Lima, o preparador de goleiros Márcio Meira e o assessor de imprensa Vitor Rodriguez.

Em relação à formatação do departamento médico, Saul Berdichevski, que era o diretor médico, saiu. No seu lugar, Ciro Simoni - que não está mais no clube - Richard Gruski e Carlos Galia chegaram ao Grêmio para exercer a função.

Na pasta do departamento de futebol, no mês de fevereiro, Paulo Luz foi anunciado como vice-presidente, acompanhado pelos diretores Claudio Tavares e Celson Matte.

Com o passar dos meses, em setembro, momento em que o time estava passando por grande turbulência no ano, o então diretor executivo Klauss Câmara foi desligado. No momento, Marcelo Rudolph possui o status de gerente administrativo do clube.

Contratações

Para a temporada de 2020, 13 contratações foram feitas. Necessitando de um goleiro para ser titular incontestável, a direção gremista contratou Vanderlei, que estava no Santos. Para as laterais, Victor Ferraz, Orejuela, Caio Henrique - que já voltou ao Atlético de Madrid - e Diogo Barbosa foram adquiridos, respectivamente, junto ao Santos, Cruzeiro, Atlético de Madrid e Palmeiras.

Visando maiores opções ao meio-campo, Lucas Silva, Robinho, Thiago Neves, Pinares e Everton (troca com o São Paulo envolvendo Luciano) foram contratados.

O ataque também foi reforçado pela direção. Luiz Fernando, Diego Churín e Diego Souza, artilheiro da equipe no ano, foram contratados também.

Saídas

Em relação à temporada de 2019, muitos jogadores deixaram o clube, seja por meio de negociações, por opção de não renovação de seus contratos ou pelo empréstimo à outros clubes. Léo Moura, Galhardo, Juninho Capixaba, Rômulo, Luan, Thonny Anderson, Michel, Felipe Vizeu, Diego Tardelli e André foram os atletas que não permaneceram para 2020.

Luciano, envolvido em uma troca com o São Paulo pelo meia-atacante Everton Cardoso, e Everton Cebolinha, vendido ao Benfica, foram os principais atletas que começaram o ano fazendo parte do plantel gremista, mas que acabaram sendo negociados ao longo da temporada.

Finanças

Mesmo em um ano atípico, em que os clubes sofreram grandes problemas em decorrência da pandemia, o Grêmio continuou sendo um exemplo a ser seguido no âmbito administrativo.

No primeiro trimestre de 2020, o clube registrou um superávit de R$ 11,8 milhões. Já no segundo trimestre, o Grêmio alcançou um superávit líquido de R$ 18,5 milhões. Com isso, no primeiro semestre de 2020, a instituição obteve R$ 30,3 milhões em superávit.

No terceiro trimestre do ano, considerando os números registrados nos primeiros seis meses do ano, o clube teve um superávit de R$ 25,6 milhões e Ebitda (lucro antes de calcular juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 65,86 milhões.

Principal venda

Como já era esperado antes mesmo da temporada começar, a principal venda efetuada pela direção gremista foi do atacante Everton Cebolinha ao Benfica, de Portugal. O negócio foi fechado em 20 milhões de euros, pagos à vista. O Tricolor Gaúcho ficou com 65% do valor, ou seja, 13 milhões de euros.

Conquista, decepção e final para jogar

Mesmo enfrentando instabilidade e desconfiança, o Grêmio conseguiu manter a soberania no estado. O clube conquistou o Campeonato Gaúcho pela terceira vez seguida, desta vez, tendo o Caxias como adversário na grande final.

Na Copa Libertadores da América, após passar em primeiro em seu grupo e deixar o Guaraní, do Paraguai, pelo caminho, o Grêmio foi eliminado pelo Santos nas quartas de final, sendo goleado por 4x1 na partida decisiva.

Se na Libertadores da América o time decepcionou, não se pode falar o mesmo na Copa do Brasil. Eliminando Juventude, Cuiabá e São Paulo, respectivamente, nas oitavas, quartas e semifinal, o Grêmio terá, logo no início de 2021, a possibilidade de conquistar um grande troféu. A final da competição será contra o Palmeiras, e ocorrerá nos dias 3 e 10 de fevereiro.