Além de recolocar a instituição no caminho das grandes conquistas, a gestão do presidente Romildo Bolzan Jr a frente do Grêmio, a cada ano que passa, está próxima de cumprir a principal meta colocada desde seu primeiro ano na presidência: a autossustentabilidade do clube.

Gestão se caracteriza pelas conquistas e estabilidade na questão financeira

Se, em 2015 - primeiro ano de Romildo Bolzan como presidente do Grêmio - a situação da clube era extremamente complicada, tanto no âmbito técnico, vivendo longo período sem conquistas de relevância, quanto na questão financeira, com grandes dívidas deixadas por gestões passadas, atualmente, a gestão do presidente Bolzan conseguiu alinhar o resultado prático, tendo excelente desempenho dentro de campo, com a estabilidade financeira.

Ao longo dos últimos anos, além de se caracterizar por conquistar grandes títulos, como o da Copa do Brasil, de 2016, Libertadores da América, de 2017, Recopa Sul-Americana, de 2018, dentre outros, o Grêmio, através de sua direção, vem conseguindo realizar, ao menos, uma grande venda por temporada.

Clube vem realizando grandes vendas de jogadores

Logo após o tricampeonato da América, Arthur foi vendido ao Barcelona por quantia muito significativa. Nos anos seguintes, Tetê, que nem sequer chegou à estrear pelo profissional do clube, deixou cerca de 10 milhões de euros líquidos à instituição. Na atual temporada, a principal venda foi de Everton, destaque do time nas últimas temporadas, para o Benfica, de Portugal.

Conselho Deliberativo aprova plano orçamentário para 2021:

Mesmo em um ano de pandemia que, naturalmente, gerou grandes dificuldades financeiras à todos os times, o Grêmio chega fortalecido para a temporada de 2021.

No último dia 1 de dezembro, o Conselho Deliberativo do Grêmio se reuniu e aprovou, por unanimidade, a suplementação orçamentária e o orçamento para o ano que vem. Em relação ao que foi liberado neste ano, para 2021, o Grêmio terá cerca de R$ 30 milhões a mais para investir no futebol.

Clube projeta baixa necessidade de arrecadação

Em 2020, a direção gremista projetou arrecadar R$ 88 milhões de reais somente com a venda de jogadores. Com a transferência do Cebolinha ao Benfica, o clube conseguiu superar o valor que havia projetado como necessidade em faturamento com a venda de atletas.

Em 2021, conforme o orçamento do clube, o Grêmio terá a necessidade de arrecadar somente 28 milhões de reais com a venda de seus ativos. Analisando friamente, o baixo valor projetado para 2021, ajuda com que a direção consiga ter forças para segurar craques, como Jean Pyerre, Pepê e Matheus Henrique, que já sofreram grande assédio europeu.