O jogador que já assinou vínculo até o final da temporada com o clube gaúcho se vê em meio a uma disputa judicial com seu antigo clube - o Cruzeiro, que anunciou nesta última terça-feira que entrou com um recurso na Justiça do Trabalho no processo envolvendo a rescisão de contrato do meia-atacante.

O pedido do clube mineiro é para que a decisão unilateral, provocada pelo próprio Cruzeiro, seja revogada; no entanto, a rescisão de contrato entre as partes já foi homologada pela CBF e conforme já destacamos acima, Robinho já assinou com o Tricolor Gaúcho.

É importante salientar que o Cruzeiro não está pedindo a volta do jogador a "Toca da Raposa", mas que a decisão não seja dada como "unilateral" por vontade do clube, que revelou no último dia 05 de maio que ali iniciava um processo de rescisão amigável com o atleta em questão e também com Edilson.

Robinho na época ainda no Cruzeiro - imagem: UOL
Robinho na época ainda no Cruzeiro - imagem: UOL

De acordo com as informações, Edilson acertou o seu fim de contrato e está livre no mercado, já a situação de Robinho é um pouco mais complicada. O clube mineiro alega que Robinho "forçou" a barra para uma rescisão unilateral, utilizando-se desse comunicado à imprensa com a ideia de ficar livre para assinar com outro clube.

O Cruzeiro ainda comunica que tentou entrar em um acordo com o meia de forma amigável, no entanto, as mesmas foram rejeitadas.

"Cumpre registrar, por derradeiro, que o clube requerente demonstrou nos autos, proposta de acordo amigável entre as partes, rejeitadas, como tantas outras ofertadas ao atleta".

Para dar embasamento as suas ideias, a defesa do Cruzeiro contesta a alegação do jogador de que teria sido dispensado dos treinos; segundo o clube, apenas foi dado a ele uma autorização para que ausentasse dos trabalhos durante a discussão de sua possível rescisão.

"Se realmente tivesse ocorrido à rescisão de contrato por parte do Reclamado, o Reclamante não precisaria de autorização para não treinar, eis que por óbvio não seria necessária a continuidade da prestação de serviços ao clube", diz a contestação de defesa do Cruzeiro neste caso envolvendo o meia Robinho, hoje atleta do Grêmio.

Essa "novela" promete alguns capítulos a mais pela frente. Aguardemos!