Futebol tem 12 novas regras estabelecidas pela IFAB, vejam como ficaram:

A divulgação dessas foram feitas pela “International Football Association Board” nesta última quarta-feira, com 12 novas mudanças no estatuto que regulamenta a “atividade”.

Por Minha Torcida
Compartilhe

Estão definidas algumas novas regras no futebol. A divulgação dessas foram feitas pela "International Football Association Board" nesta última quarta-feira, com 12 novas mudanças no estatuto que regulamenta a "atividade" - as novas regras já começam a valer a partir do dia 1º de junho.

O regulamento respeitará o "calendário europeu" e assim a Confederação Brasileira de Futebol - CBF negocia com a FIFA a implantação das novas regras em meio às competições por ela organizada, uma vez que estaremos com o Brasileirão e com a Copa do Brasil em andamento.

O Futebol terá novas regras válidas a partir do dia 1º de junho.O Futebol terá novas regras válidas a partir do dia 1º de junho.

Abaixo veja as novas regras ou mudanças no futebol:

Substituições:

A partir do dia 1º de junho os jogadores que forem substituídos terão que sair de campo obrigatoriamente pela linha mais próxima, não exatamente pela linha central, a não ser que o árbitro autorize o atleta - essa é uma medida para acelerar o jogo.

Cartões para a comissão:

Os membros da comissão técnica poderão ser advertidos com cartão amarelo. Vale lembrar que até agora os árbitros só poderiam advertir os mesmos com uma advertência verbal ou com a expulsão.

Tiro de meta:

Os jogadores poderão tocar na bola e dar sequência a partida mesmo de dentro da área após a cobrança do tiro de meta. Não será mais necessário esperar a bola ultrapassar o espaço demarcado.

Bola no chão:

A bola no chão agora não terá disputa. A bola será "dada" apenas ao último jogador a tocar na mesma antes da paralisação. Se o "ato" ocorrer dentro da área, a bola será entregue ao goleiro. Essa é uma ideia que foi colocada em prática para amenizar algumas desculpas por parte dos jogadores que gostam de usarem o "fair play" como desculpa para devolver a bola ao adversário em um local longe da jogada inicial.

Mão na bola:

A partir de agora a mão ou braço na bola serão considerados faltosos mesmo quando não houve a intenção de tocá-la. Isso valerá para toques que barram uma finalização ou passe e também para gols ou lances que originem uma jogada de gol. Em qualquer caso desses, o árbitro terá de marcar infração. A ideia é tornar esse tipo de lance menos interpretativo. A regra do braço junto ao corpo continua valendo no caso de aproximidade entre o chutador e o marcador, aliando a velocidade do chute.

Cobrador de pênalti:

Em caso de falta dentro da área, o jogador designado a fazer a cobrança de penalidade estiver sendo atendido pelo médico ou massagista, poderá ele regressar a campo para cobrar a penalidade. Vale lembrar que antes esse tinha que aguardar o reinício da partida.

Vantagem no cartão amarelo e vermelho:

O árbitro não precisa mais aplicar os cartões antes das cobranças das eventuais faltas. O homem do apito poderá dar a vantagem a uma cobrança rápida e deixar para mostrar o cartão após a conclusão do lance.

Barreira:

Nas cobranças de faltas, os jogadores do time detentor da cobrança terão de ficar pelo menos a um metro dos atletas adversários que compuserem a barreira. Isso evitará os empurrões em cima daqueles que ali estão para proteger a sua meta.

Recuo para o goleiro:

Após o recuo da bola ou cobranças de lateral de um time para o seu goleiro e esse erra o pé na bola, poderá ele pegar a mesma com as mãos.

Cara ou coroa:

O vencedor na disputa escolherá a bola ou o campo. Antes dessa mudança, o vencedor só podia escolher o campo.

Comemoração:

Os árbitros deverão aplicar cartão amarelo em caso de exagero na comemoração de um gol mesmo que o lance tenha sido anulado.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal