O que esperar da arbitragem brasileira com o VAR no Brasileirao

A expectativa por parte da Comissão de Arbitragem com a diminuição de erros grotescos no Brasileirão é enorme. Porém, a chegada da tecnologia em nosso “campeonato” não significa que nossos árbitros não precisem mais buscar a profissionalização, bem pelo contrário!

Por Minha Torcida
Compartilhe

O que será da arbitragem brasileira com a chegada do “Árbitro de Vídeo”? Com o “VAR”, a arbitragem de uma partida do Campeonato Brasileiro não será mais fácil, bem pelo contrário, será um desafio a mais para os nossos árbitros, que terão que se concentrar muito mais para não errarem, temendo serem pegos na telinha.

Com a tecnologia embarcada na competição nacional, caberá a esses profissionais do apito comprovar que estão realmente preparados e com isso virarem algumas páginas de sérios erros que já mudaram o final de uma partida ou até mesmo de alguns títulos.

A telinha - o incomodo de alguns árbitros.A telinha - o incomodo de alguns árbitros.

Os árbitros brasileiros ainda terão que lutarem contra um adversário incomodo: o monitor. Em competições brasileiras que já contam com o “VAR” é nítida a insegurança dos árbitros diante da tela – o medo de serem traídos pelo olhar?

Com a fama do jogador brasileiro de simular faltas; o verdadeiro “cai-cai”, servirá como um alerta para os nossos árbitros nos 380 jogos de 2019. A chance desses profissionais tanto do campo, como do vídeo serem ludibriados por esses simuladores de ocasião, deverá colocá-los em “alerta”, para que se evite a expressão “o videoteipe é burro”, como dizia Nelson Rodrigues.

Árbitros de vídeo.Árbitros de vídeo.

A expectativa por parte da Comissão de Arbitragem com a diminuição de erros grotescos no Brasileirão é enorme. Porém, a chegada da tecnologia em nosso “campeonato” não significa que nossos árbitros não precisem mais buscar a profissionalização, bem pelo contrário, é apenas mais um incentivo para que isso ocorra.

Assim como fazem alguns dirigentes de clubes brasileiros, que se recusaram a diminuir o número de jogadores inscritos no torneio, como sugeriu a CBF – além dessa, o limite de troca de técnicos durante a competição nacional. Algo a ser lamentado, mas esses mesmos estão acostumados a “jogar” tudo para o torcedor: descontando suas incapacidades administrativas no treinador, com a chegada de reforços com “ares” de o salvador.

 

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal