Como todos amantes da F1 já sabem, Sebastian Vettel está fora da Ferrari na próxima temporada e nem por isso o piloto alemão deixa de criticar a escuderia italiana.

No último final de semana, no GP da Rússia, o piloto aqui em questão acusou a equipe de usá-lo tão somente com uma espécie de "escudo" para Leclerc; em especial no último grande prêmio da Fórmula 1, realizado neste domingo passado.

O alemão criticou a estratégia da Ferrari e lamentou a falta de opção na prova, onde finalizou a mesma apenas na 13ª colocação e fora da zona de pontuação, enquanto seu colega chegou na sexta posição.

Brigando com o carro até aqui nesta temporada, Sebastian Vettel não ficou nada satisfeito com a estratégia utilizada pela equipe, que para ele, beneficiou seu colega. Lembramos que o alemão deixará a Ferrari ao final desta temporada, onde passará em 2021 a pilotar a Aston Martin.

Vettel gostaria de ter parado nos boxes mais cedo após perder ritmo na corrida de Sochi, com o desgaste acelerado dos pneus médios, mas foi chamado para a troca dos pneus na volta de número 30 - duas após Leclerc; permanecendo assim por mais tempo para repelir o avanço dos carros da Renault, o que beneficiou seu companheiro de equipe.

Leclerc finalizou a corrida justamente entre Daniel Ricciardo e Esteban Ocon - quinto e sétimo colocados no GP da Rússia.

"Foi chato porque não tínhamos muitas opções em termos de estratégia. Minha largada no lado sujo da pista não foi ideal e não pude aproveitar as colisões dos outros pilotos. Após o safety car, tive muito trabalho para manter os carros atrás de mim, e após o pit stop, não sobrou muito. Estava claro que me liberaram para tentar para a Renault. Não me ajudou. Não me senti confortável com o carro. Fiquei sem pneus rapidamente, não tinha ritmo. Seguir muitos carros não ajudou, foi uma corrida difícil. Foi difícil ficar atrás de outros carros e por isso não estou feliz", declarou o alemão.

Já para o chefão da equipe - Mattia Binotto, o fim de semana na Rússia foi positivo, se comparado aos outros GPs já realizados no calendário 2020. Apesar de ver uma melhorar na equipe, o italiano concorda com a posição de Vettel e admitiu que Leclerc teve "vida fácil".

"Acho que há alguns pontos positivos. O primeiro é o resultado. A segunda melhor coisa foi o ritmo relativo na corrida com Charles. Foi um pouco mais complicado para o Sebastian hoje, por estar no tráfego, começando atrás no grid. Mas acho que, em comparação com as últimas provas, fomos um pouco mais competitivos na corrida. Trouxemos algumas novidades. Ainda não o suficiente, mas estamos cientes disso, e é importante seguir na direção certa até o final da temporada", declarou Binotto.

Com o resultado da corrida de Sochi, a Ferrari ocupa apenas a sexta colocação no Mundial de Construtores, atrás da Renault e Racing Point. Já Leclerc ocupa a sétima colocação e Vettel a décima terceira na tabela de classificação dos pilotos.

O GP da Rússia foi vencido por Valteri Bottas; já Hamilton punido pela direção de prova por realizar teste de largada em local proíbido antes mesmo do início da corrida, encerrou na terceira colocação.