Por homenagem a uma norte-americana morta pela polícia ou por cobrar justiça por sua morte, Lewis Hamilton, vencedor do GP da Toscana será cobrado pela FIA por manifestação política dentro da categoria. A informação foi confirmada pela própria entidade ao canal BBC, onde destacaram que irão discutir se a camiseta usada pelo piloto inglês com os dizeres: "Prendam os policiais que mataram Breonna Taylor" não configura uma mensagem política; o que é veemente proibido na Fórmula 1.

Neste último domingo, Lewis Hamilton trocou a habitual camiseta utilizada nos GPs deste ano com o dizer: "Vidas negras importam", pela vestimenta que cobrava justiça pela morte da socorrista americana que foi baleada oito vezes e morta no dia 13 de março, quando a polícia invadiu sua residência por engano em Louisville - no estado de Kentucky.

Lewis Hamilton no pódio após vencer o GP da Toscana - imagem: UOL
Lewis Hamilton no pódio após vencer o GP da Toscana - imagem: UOL

Veja o que diz o regulamento da FIA nesses casos:

Segundo a própria, o regulamento só menciona questões políticas ao proibir a utilização de manifestações de cunho "político" ou "religioso" que sejam prejudiciais aos interesses da FIA nos carros. Lembramos que em 2018, o piloto Santino Ferrucci foi proibido de carregar em seu veículo o slogan da campanha do presidente americano Donald Trump pela mesma regra.

FOTO de CAPA: F1 imagem