Sebastian Vettel que ainda não sabe se terá um assento garantido para a temporada 2021 da Fórmula 1, recebeu nesta semana um convite inusitado do chefão da equipe "Glickenhaus" - que irá disputar a nova categoria de hipercarros do WEC.

Segundo as últimas informações vindas da F1, conforme já descrito por nós no início desta matéria, o futuro do piloto alemão para a temporada 2021 ainda é incerto na principal categoria do automobilismo mundial, e mesmo ele tendo algumas possibilidades de ocupar lugar dentro da Aston Martin ou RedBull Racing, ainda não está certo o seu futuro para o próximo ano, podendo ele inclusive passar por um ano sabático ou ainda se aventurar em outra categoria, como essa do referido convite.

O milionário americano James Glickenhaus afirmou que gostaria de ter o piloto alemão em seu programa no Campeonato Mundial de Endurance - o WEC, onde além dessa equipe, a Toyota e a ByKolles também já confirmaram presença na nova categoria de hipercarros.

O presidente da Glickenhaus é um entusiasta da Ferrari desde os anos 60 e amigo particular do presidente da montadora - Luca di Montezemolo, no entanto, jamais se interessou por colocar uma equipe sua na Fórmula 1.

"Não estou muito interessado na Fórmula 1. O início é bom, o final é bom, mas há uma procissão no meio", declarou ele.

Além disso, James revelou que não gosta quando as pessoas estão vivendo em uma espécie de "bolha de champagne" e muito menos das corridas que a F1 faz em países com ditaduras estranhas.

Algo que chamou a atenção do empresário com relação à Vettel, foi ele não se interessar com esse mundo das mídias sociais e parecer ser um piloto das antigas.

"Ele é um cara da velha guarda, eu gosto muito disso".

Ele lembrou ainda da semelhança de Vettel com Alonso, quando esse participava da F1 e ainda disputava provas da WEC, no ano de 2018.

"Sebastian é um cara muito parecido com Alonso, e se ele quiser testar e dirigir para mim, eu adoraria. Não posso pagá-lo a mesma quantia que a Ferrari. Não sei nada sobre o funcionamento interno de lá, mas, como observador, sei que eles têm um longo histórico de relacionamentos ruins com os pilotos. Isso remonta ao período em que Enzo estava vivo. Com Sebastian, a Ferrari parece dar continuidade a essa tradição e eu não acho que isso seja uma coisa boa. Se Sebastian quiser vir conosco e correr em Le Mans, teremos um assento para ele", finalizou.

Vettel voltará as pistas neste final de semana, para a disputa da sexta etapa do calendário 2020 da F1, no GP da Bélgica.