Organizadores do GP Brasil de Fórmula 1 dizem que não foram informados oficialmente do cancelamento da prova de Interlagos - assim como também o governo do estado de São Paulo.

Lembramos que a Liberty - empresa organizadora da F1 informou nesta última sexta-feira, por volta das 11h (no horário de Brasília), que as provas que seriam realizadas nas "Américas" haviam deixado o calendário 2020, assim, além do Brasil; Canadá, Estados Unidos e México ficaram de fora do circuito da categoria nesta temporada por conta do novo Coronavírus.

Assim que a Fórmula 1 comunicou tal determinação, o diretor do Circuito das Américas e a assessoria do GP do México confirmaram em nota, a ordem da categoria com relação ao assunto.

Já a assessoria do GP do Brasil, segundo informações do site "grandepremio.com.br", informou que até as 13h não haviam recebido nenhuma informação a respeito do cancelamento das provas das "Américas".

"Sobre as notícias divulgadas hoje, 24 de julho de 2020, dando conta do cancelamento do GP Brasil de Fórmula 1 e das demais corridas das Américas, comunicamos que não recebemos até o presente momento nenhuma comunicação oficial da FIA dessa forma, não podemos nos manifestar".

Em uma coletiva, o prefeito da capital paulista - Bruno Covas que ainda acreditava na realização da prova em São Paulo, declarou o seguinte:

"Enviamos todos os dados à organização do evento, mostrando que a realidade da cidade de São Paulo e do estado, é bem diferente da realidade do resto do país que chegam em notícias para pilotos e equipes. A projeção mostra que em novembro estaríamos em uma situação bem melhor do que estavam países europeus que já tiveram a realização de GPs. Lembramos que tanto as autoridades sanitárias do Estado, quanto do município, desenvolveram protocolos para a realização de eventos automobilísticos aqui na cidade. Sendo que não há qualquer proibição deste tipo de evento em São Paulo desde que, ele ocorra sem público. Fomos notificados da decisão. Não é uma decisão que afeta apenas São Paulo, mas todos os GPs nas Américas e respeitamos a decisão", revelou Covas.

Desta forma, essa será a primeira vez desde 1972 que o GP Brasil da F1 não será realizado. Vale também lembrar que o contrato de São Paulo com a F1 se encerra nesta temporada - se tornando em um imbróglio que já se arrasta a quase um ano, onde o município do Rio de Janeiro está na disputa para sediar o Grande Prêmio do Brasil a partir de 2021 ou 2022.