De acordo com as informações do diretor técnico da Fórmula 1 - Ross Brawn, a temporada 2020 deverá ter seu início no mês de julho, na Europa e com portões fechados. Com o início do Campeonato Mundial no meio do ano, o dirigente aqui em questão acredita ser possível um calendário com 19 grandes prêmios.

Vale lembrar que um dia antes dessa afirmação, a F1 "cancelou" o GP do Canadá - a nona etapa da temporada 2020.

"Se conseguirmos iniciar no mês de julho, poderíamos realizar as 19 corridas previstas para a temporada. Seria um ano com corridas em três finais de semana seguidos. Já olhamos as logísticas e acredito que conseguimos uma temporada com 18 ou 19 GPs. A escolha está entre esses dois números", declarou Brawn.

A fala aqui descrita foi dada durante uma entrevista ao site oficial da Fórmula 1, nesta última quarta-feira, onde o mesmo ainda afirmou o desejo da categoria realizar as corridas o mais cedo possível "para assim dar entretenimento aos fãs durante tempos difíceis", mesmo que isso signifique corridas sem o público e com GP tendo dois dias, ao invés de quatro.

Ross Brawn - dirigente da categoria.
Ross Brawn - dirigente da categoria.

"Achamos que um início na Europa seria favorável, podendo até ser com portas fechadas. Podemos reduzir um ambiente bem controlado, todo mundo testando para que não haja risco de contaminação da "COVID-19". Não é incrível não ter espectadores, mas é melhor do que não ter corrida alguma. Muitos fãs estão isolados, poder acompanhar o esporte ao vivo e ter entretenimento seria um grande bônus nessa crise", destacou.

Se não for possível iniciar no mês de julho, Ross Brawn dá como limite o mês de outubro, onde segundo ele, poderia ainda assim realizar oito corridas - conforme acordo com a FIA, podendo quem sabe usar janeiro de 2021 para completar a temporada.

"Oito corridas é o mínimo para que exista um campeonato de acordo com as normas da FIA. Poderíamos realizar oito corridas começando em outubro. Então se for para dar um limite, seria outubro. Mas há sempre a possibilidade de invadirmos o ano que vem. Isso está sendo analisado. Poderíamos usar o mês de janeiros para terminar a temporada. Veremos!", concluiu ele.

É bom salientar que o calendário de 2020 sofreu severamente com a crise da "COVID-19" - além do impacto sofrido pelo GP do Canadá, as corridas da Austrália e Mônaco também foram canceladas.