Você sabia que Ayrton Senna poderia ter trocado a Williams pela Ferrari na temporada seguinte, se não tivesse ocorrido com ele o acidente que o vitimou para todo sempre em 1994, em Ímola, na Itália?

Essa informação foi dada neste final de semana pelo ex-presidente da escuderia italiana - Luca di Montezemolo, que revelou o quão perto Senna esteve de assinar um contrato com a Ferrari para a temporada de 1995.

Em entrevista a "Sky Italia", o ex-comandante da Ferrari ainda acrescentou que se o piloto brasileiro tivesse sido contratado pela escuderia, dificilmente Michael Schumacher teria chegado à equipe em 1996.

Vale lembrar que Ayrton Senna havia trocado a McLaren pela Williams em 1994, após Alain Prost ter se aposentado como campeão de 1993, com sua Williams de "suspensão ativa" - dispositivo esse que quando Senna chegou à equipe, não poderia mais ser utilizada pelas regras da FIA e por causa disso o carro ficou extremamente desequilibrado, o que teria deixado o piloto brasileiro insatisfeito.

Luca di Monetezemolo - CEO da Ferrari e ex-chefão da equipe na Fórmula 1.
Luca di Monetezemolo - CEO da Ferrari e ex-chefão da equipe na Fórmula 1.

Porém, um acidente fatal em Ímola, na Itália, tirou o ídolo brasileiro da Fórmula 1 para sempre, mas antes disso, Senna e Montezemolo já iniciavam uma conversa para pilotar a Ferrari a partir de 1995 - algo que por fim não pode ser concretizado.

"Ele veio a mim em Bolonha na quarta-feira antes da tragédia em Ímola e me disse que queria competir na Ferrari a todo custo e que queria se livrar da Williams", revelou o italiano a "Sky".

Ainda sobre o possível acordo entre as partes, o ex-chefão da Ferrari disse mais:

"Ficamos com a ideia de conversar mais após o GP de Ímola. Então aconteceu o que aconteceu. Seria a cereja do bolo da equipe, como Schumacher foi mais tarde".

Montezemolo acreditava que ter Senna e Schumacher na mesma equipe seria uma hipótese incrível, mesmo achando que essa dupla não funcionaria.

"Um sonho agradável, mas estaríamos atirando no próprio pé. Teria sido um grande sucesso, mas não seria bom para a Ferrari. Com duas estrelas desse nível juntas, você não ganha", finalizou ele.

Vale lembrar que Senna rivalizou ferrenhamente com Alain Prost quando os dois eram companheiros de equipe na McLaren, assim, dificilmente Schumacher, que tinha os mesmos objetivos de Senna, se daria bem com o piloto brasileiro na mesma equipe.