Coronavírus atinge a Fórmula 1 e pode adiar a estreia da categoria em 2020

As vésperas do início do calendário 2020 da Fórmula 1, a pandemia que atinge o planeta poderá suspender o Grande Prêmio de Melborne - na Austrália.

Por Müller
Compartilhe

A epidemia que na realidade já se transformou em pandemia - aqui falando do Coronavírus (Covid-19), não pegou tão somente os campos de futebol; principalmente os europeus, mas também está afetando outras modalidades esportivas, bem como a Fórmula 1, que terá sua estreia neste final de semana - na Austrália, onde de acordo com as últimas informações, a McLaren não estará presente no grid de largada.

Minutos depois do multicampeão Lewis Hamilton reclamar da decisão da categoria seguir com o cronograma do GP da Austrália, a escuderia inglesa acima citada comunicou que um de seus funcionários estaria contaminado com tal vírus e que já estaria em quarentena. Como consequência, a McLaren decidiu que não irá participar do GP deste final de semana, no circuito de Albert Park - corrida essa que abrirá o calendário da temporada 2020.

McLaren - equipe com um membro contaminado pelo coronavírus.
McLaren - equipe com um membro contaminado pelo coronavírus.

Tal medida foi tomada como forma de precaução pela cúpula da equipe - que atualmente é chefiada por Zak Brown e Andreas Seidl. Além do funcionário da McLaren, outros quatro funcionários da escuderia Haas também estão em quarentena com suspeitas de terem contraído o "Covid-19". Porém, nesses casos segundo a emissora britânica "BBC", o resultado deu negativo.

Leia abaixo o comunicado emitido pela McLaren:

"A McLaren confirmou no início desta noite, em Melborne, que ficará de fora do GP da Austrália de 2020, após um de seus membros de equipe testar positivo para o coronavírus. O membro da equipe foi testado e isolado assim que começou a demonstrar os sintomas, e agora irá ser tratado pelas autoridades de saúde local. A equipe se preparou para essa eventualidade e está dando apoio para este funcionário que vai entrar em um período de quarentena. A equipe está cooperando com as autoridades locais para ajudar nas investigações e análises. Zak Brown - diretor-executivo da escuderia, e Andreas Seidl - chefe da equipe, informaram a Fórmula 1 e a FIA da decisão desta tarde. A decisão foi tomada baseada na tarefa de cuidar não apenas de empregados e parceiros da McLaren, mas também dos competidores dos outros times, fãs da Fórmula 1 e de todas as partes interessantes".

Em resposta ao anúncio da McLaren, diretores da F1 também se pronunciaram:

"Após o resultado do exame em um membro da equipe McLaren, a F1 e a FIA mantiveram contato direto com eles sobre a decisão de deixar o evento e coordenam agora com todas as autoridades relevantes as próximas etapas. Nossa prioridade é a segurança dos fãs, das equipes e todos os envolvidos".

Com o assunto em pauta, o diretor de saúde do estado de Victoria, onde localiza-se o circuito de Melborne, deixou claro o risco de cancelamento do GP da Austrália.

"Se isso efetivamente interromper a corrida, que assim seja, faremos isso", declarou a autoridade.

Assim como outros eventos esportivos foram adiados ou transferidos, o GP da Austrália também corre o risco de ser adiado as vésperas do início das atividades em pista, nesta sexta-feira.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal