Uma das maiores celebridades da "terra da rainha" foi condecorado "Sir" pelo Império Britânico nesta semana. Estamos nos referindo ao heptacampeão de Fórmula 1, Lewis Hamilton.

O multicampeão de F1 fora incluído na lista de honra de 2021, onde esse passou a ser o quarto da história do esporte a motor a ganhar tal título, passando a ser conhecido como Sir Lewis Hamilton - o título de "Cavaleiro da Ordem do Império Britânico".

A confirmação deste "título" se deu nesta última quarta-feira a noite, na estreia de premiações e reconhecimento mundial que Hamilton vem recebendo por seus feitos dentro e fora das pistas da F1. Além de mais um excelente ano dentro das pistas de corridas, o inglês ficou reconhecido por suas ações antirracismo, onde esse foi às ruas em manifestações, protagonizando momentos importantes como, por exemplo, homenagens a George Floyd e Breonna Taylor.

Quarto piloto da F1 a receber o título de Cavaleiro da Ordem Britânica

Sim, Hamilton nesta última quarta-feira se tornou o quarto piloto de F1 a receber tal honraria; antes dele quem também já havia sido condecorado com o título de Cavaleiro da Ordem do Império Britânico fora: Jack Brabham - 1978, Stirling Moos - 2000 e Jackie Stewart - 2001.

Outras figuras importantes do automobilismo mundial também já ganharam tal título, assim como "Sir" Frank Williams, "Sir" Colin Chapman, "Sir" Patrick Head e "Sir" Ron Dennis.

Título de Membro da Ordem do Império Britânico

Bem antes de ser condecorado como Cavaleiro da Ordem do Império Britânico, Hamilton em 2009 já havia recebido o título de "Membro da Ordem do Império Britânico", em decorrência ao título mundial de Fórmula 1 obtido em 2008 - título esse dado também da Damon Hill.

Sobre o "título" recebido nesta última quarta-feira, Lewis Hamilton já havia falado ao jornal inglês "The Guardian", onde o mesmo declarou o seguinte:

"Quando penso nessa honra, penso em pessoas como meu avô, que lutou na guerra. No Sir Capitain Tom, que foi reconhecido e esperou 100 anos por essa incrível honra. Pessoas que estão trabalhando em hospitais. Os enfermeiros e médicos que estão salvando vidas nos tempos mais complicados que enfrentamos", declarou o heptacampeão mundial de F1.