Sem dúvidas, o momento mais impactante desta temporada da Fórmula 1 aconteceu no último fim de semana. O acidente envolvendo o piloto francês Romain Grosjean logo na primeira volta do GP do Bahrein, que aconteceu no último domingo (29), gerou grande preocupação por parte dos fãs e das outras equipes do grid da maior categoria do automobilismo mundial.

Logo na primeira volta, o piloto francês teve contato com o russo Daniil Kvyat, da Alpha Tauri. Entretanto, Grosjean não conseguiu evitar o choque contra o muro de proteção da pista, que fez com que o carro se partisse em dois e logo após, explodir, com o piloto em meio ao fogo. As imagens foram tão fortes que a transmissão da corrida ficou por vários minutos sem mostrar o acidente, e apenas depois do piloto sair caminhando do carro, a geração de imagens mostrou as consequências.

Proteção na cabeça foi fundamental para evitar o pior

Depois do acidente, e de sair caminhando do carro, o piloto foi levado imediatamente para um hospital próximo do circuito em uma ambulância. Grosjean teve queimadura nas mãos, mas de acordo com a Haas, equipe do piloto, possibilidades de fraturas foram afastadas.

Já internado, Grosjean postou um vídeo em suas redes sociais, afirmando que está bem, e já em recuperação. No vídeo, em que aparece ainda com as mãos enfaixadas, o francês fez questão de falar do Halo, proteção na cabeça que serve para evitar acidentes contra a cabeça dos pilotos.

O que é o Halo?

Aplicado na Fórmula 1 no ano de 2018, o Halo é uma proteção colocada nos carros, na altura da cabeça dos pilotos. A ideia é evitar grandes impactos nos acidentes, e além disso, proteger em caso de arremesso ou soltura de algum objeto vindo de outros carros.

Este tipo de proteção vinha sendo analisada desde o ano de 2009, quando o piloto brasileiro Felipe Massa foi atingido por uma mola, no GP da Hungria. Na ocasião, Massa ficou desacordado, precisou ser levado para o hospital e ficou em coma induzido.

Entretanto, vale lembrar que o Halo não foi fabricado especificamente para este tipo de situação. Embora possa ajudar, a ideia é proteger contra grandes fragmentos, como pedaços de outros carros por exemplo.

Brasileiro terá oportunidade no próximo GP

Já que Grosjean não terá condições de pilotar, a Haas elegeu o jovem brasileiro Pietro Fittipaldi, piloto reserva da equipe norte-americana, guiará o carro da equipe no GP de Sakhir, que acontece já no próximo fim de semana.

Neto do lendário piloto Emerson Fittipaldi, atua como reserva na equipe há 2 temporadas, e será o 32º piloto brasileiro a pilotar na categoria.