Como um das medidas para evitar perder "dinheiro" neste momento de futebol paralisado por causa da "COVID-19", o Fluminense comunicou nesta última terça-feira que irá reduzir os valores cobrados dos sócios proprietários e contribuintes, em 10% a 15%.

Os sócios que efetuarem o pagamento de maio até o dia 5, terão 15% de desconto, já os que quitarem até o dia 31 do mesmo mês, terão direito a um abatimento de 10% sobre a quitação da mensalidade.

Além desses, segundo as últimas informações do site "globoesporte.com", a direção do clube das laranjeiras também está estudando uma forma de conceder preços menores para os "Sócios-Torcedores", no futebol.

Mario Bittencourt - presidente do Fluminense.
Mário Bittencourt - presidente do Fluminense.

Esse pacote como já informamos acima, faz parte das ações internas para minimizar os efeitos da paralisação do futebol no Brasil. Em uma de suas postagens na última semana, no Instagram, Mário Bittencourt - presidente do Fluminense revelou que "o clube vem tomando várias medidas que serão comunicadas em breve para amenizar possíveis prejuízos" por causa da "COVID-19"; também conhecida pelo Coronavírus.

Uma das primeiras medidas tomadas pelo clube tricolor do Rio de Janeiro, foi à redução de 15% na folha de pagamento de seus diretores, gerentes e prestadores de serviço neste período de quarentena. Além desta, o Fluminense também solicitou junto à justiça uma suspensão por seis meses da penhora sobre as receitas de transmissão, para assim poder manter o pagamento de salários, planos de saúde e alimentação.

Assim como os demais clubes das Séries A e B, o Fluminense concedeu férias coletivas a todos no clube - jogadores e funcionários por 20 dias.