Guerrero exige contrato longo para permanecer no Flamengo

Atacante quer três anos de contrato com o Flamengo, mas a direção não concorda e quer oferecer um vínculo com período menor.

Por
Compartilhe

A novela Paolo Guerrero e Flamengo promete novos capítulos nos próximos dias. Dizendo estar feliz no Rubro-Negro, o atacante que está a menos de quatro meses do final de seu contrato com o clube brasileiro e ainda responde sobre o caso de “doping” ocorrido nas “Eliminatórias” para a Copa do Mundo, na partida diante da Argentina – o julgamento de Guerrero será no próximo dia 03 de maio, as 8h45, na Suíça, gostaria de um contrato de três anos com o Mengão, que mesmo admitindo querer a permanência do atacante no clube, estuda a possibilidade, mas não estão muito de acordo com o tempo exigido.

Paolo Guerrero - atacante do Flamengo.Paolo Guerrero - atacante do Flamengo.

As negociações por hora estão congeladas, devendo ser reabertas depois do julgamento. Além do prazo de três anos – com os mesmos valores de hoje, Guerrero ainda exige do Rubro-Negro o pagamento retroativo do período que seus vencimentos foram suspensos – entre os meses de janeiro a março – por causa da suspensão imposta pela FIFA.

Guerrero e seus agentes não aceitaram muito bem a decisão do clube em congelar o seu contrato e principalmente a exposição do fato através do departamento jurídico. Segundo relatos de seus empresários, Paolo Guerrero se sentiu exposto e pouco acolhido pela diretoria do Rubro-Negro durante o período em que esteve afastado do futebol, entendendo que a punição imposta pela FIFA foi injusta.

Vale lembrar:

Clube e jogador haviam combinado que os seus vencimentos seriam congelados, mas Guerrero receberia os valores diluídos na hora da renovação, porém, o vazamento e a exposição sobre o caso – revelados pelo vice-jurídico do Flamengo, Flávio Willeman, complicaram a situação.

Entretanto, a diretoria do “Mengão” promete retornar as conversas depois do caso julgado, mantendo a proposta de uma renovação até o fim do ano; mas já admitem buscar um novo acordo com o atacante, com um prazo de um ano e meio, ou seja, até o fim de 2019.

Suspenso desde novembro do ano passado, Guerrero não vê a hora de poder voltar aos gramados e já conta as horas para isso acontecer. A suspensão acaba na próxima semana, justamente no dia do julgamento da Corte Arbitral do Esporte – CAS, na próxima sexta-feira, em Lausanne, na Suíça.

Comentários