Mesmo tendo conquistado dois títulos em pouco tempo a frente da equipe: Brasileirão e Supercopa Brasileira, Rogério Ceni ainda assim vive com a incerteza de seu futuro a frente do Flamengo, onde a estreia de seu time contra o Vélez Sarsfield - da Argentina, poderá representar muito mais do que uma simples partida de Libertadores, mas sim um novo desafio ao comandante técnico aqui em destaque.

Uma boa partida, com um placar favorável poderá ajudar Rogério Ceni a reencontrar a tranquilidade e apagar a má impressão deixada por sua equipe nos dois últimos confrontos pelo Campeonato Carioca - derrota para o Vasco da Gama e empate diante da Portuguesa.

No entanto, um resultado negativo no país vizinho poderá ligar o sinal "vermelho" e ameaçar ainda mais o treinador no cargo - que já vê a sombra de Renato Portaluppi ao seu lado.

Torcedores exigem classificação e bons resultados

Além da classificação ao mata-mata da Libertadores, antes mesmo do torneio iniciar para o time, esse já será obrigação a Rogério Ceni, que aqui não conta somente com a pressão vinda dos torcedores, mas também por parte da direção do clube, que não quer uma classificação sofrida as oitavas de final.

Libertadores é o futuro de Ceni

Em outras palavras, a Libertadores da América 2021 é o futuro de Rogério Ceni na Gávea ou no Ninho do Urubu, onde na avaliação da direção ele não pode errar no torneio sul-americano, seja em suas escalações ou com suas substituições equivocadas nas últimas partidas.

Depois da estreia diante do Vélez, o Flamengo receberá na próxima terça-feira o Unión La Calera, no Maracanã; sete dias depois, estará no Equador, onde irá encarar a LDU. Com um grupo mediano, Rogério Ceni se vê obrigado a classificar seu time de forma tranquila, para que assim possa seguir no clube, caso contrário, poderá em poucas semanas ver seu futuro ir por água abaixo.