Nada de Superliga Europeia, pelo menos nos pensamentos da FIFA, que rejeitou em nome de seu presidente - Gianni Infantino qualquer tipo de apoio a iniciativa de Manchester United e Liverpool, quanto à criação de uma nova competição interna no "Velho Continente".

Em entrevista a "CH Media", o dirigente da FIFA destacou que a entidade está focada no desenvolvimento de uma nova Copa do Mundo de Clubes.

"Como mandatário da FIFA, estou interessado no Mundial de Clubes, não em uma Superliga. Não me interessa uma Bayern diante de um Liverpool, mas sim um Bayern contra um Boca Juniors. O Liverpool tem 180 milhões de fãs ao redor do mundo. O Flamengo tem 40 milhões, sendo que 39 milhões só no Brasil. Já o Liverpool, na Inglaterra, tem apenas cinco milhões de torcedores. Quero que os clubes fora da Europa tenham potencial global no futuro", comentou Infantino.

Golpe duro contra United e Liverpool

A manifestação do presidente da FIFA contra a criação da Superliga Europeia é um golpe duríssimo contra as ideias de Liverpool e Manchester United, que também recentemente tentaram uma reforma no futebol inglês; já quanto a Superliga Europeia, a ideia era criar um torneio com 18 clubes das cinco principais ligas do continente com início previsto em 2022.