Com o Coronavírus tomando proporções ainda maiores e sem precedentes ao redor do mundo, na área do futebol, até mesmo aqueles clubes com maior poder financeiro parece já começar a "balançar" com a paralisação dos jogos e para equilibrar isso tudo, segundo informações do jornal norte-americano "The New York Times", a entidade máxima do futebol mundial usará um caixa bilionário para a criação de um fundo que poderá de certa forma ajudar clubes, ligas e federações.

O diário em questão indica que a FIFA pretende destinar algumas "centenas" de milhões de dólares de seu caixa - que atualmente comportaria algo próximo a US$ 2,7 bilhões reservados. Porém, para que isso saia da área da "especulação", é preciso que o fundo seja antes aprovado por conselheiros da entidade aqui em questão.

Sede da FIFA - na Suíça.
Sede da FIFA - na Suíça.

O "The New York Times" publicou tal matéria embasada em um comunicado enviado a eles que diz o seguinte:

"A FIFA está em uma situação financeira forte, e é nosso dever fazer o máximo para ajudar em uma hora de necessidade. Portanto, confirmamos que a FIFA está trabalhando em uma hora de necessidade. Portanto, confirmamos que a FIFA está trabalhando em possibilidades de dar assistência à comunidade do futebol em todo o planeta, após realizar uma avaliação abrangente do impacto financeiro que essa pandemia terá no futebol" disse a entidade máxima do futebol.

Depois da UEFA e da Conmebol solicitarem os adiamentos da Eurocopa e da Copa América de 2020 para 2021, a própria FIFA anunciou o cancelamento ou a estreia do novo formato do Mundial de Clubes, que seria realizado no meio do ano que vem, passando esse para 2022 ou 2023.