FIFA bane Ricardo Teixeira do futebol para o resto da vida

Mais um ex-presidente da CBF é banido para a eternidade do futebol - a figura da vez foi o ex-presidente Ricardo Teixeira, que promete entrar com recurso da decisão.

Por Müller
Compartilhe

Nesta manhã de sexta-feira, a entidade máxima do futebol mundial - também conhecida por FIFA, anunciou o banimento do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol - Ricardo Teixeira; a expulsão do mundo do futebol por toda a sua vida foi por conta de violações no código de ética.

De acordo com uma nota divulgada pela FIFA, a câmara decisória do Conselho de Ética da entidade considerou Teixeira culpado de crimes de suborno, com isso aplicou ao ex-dirigente a proibição de exercer atividades ligadas ao futebol para sempre. Ele também foi multado em 1 milhão de franco suíços - algo em torno de R$ 4,2 milhões. No entanto, o advogado de Ricardo Teixeira - Michel Assef Filho revelou que irá recorrer da decisão ao Comitê de Apelação da própria FIFA.

A investigação do Conselho de Ética analisou atividades de Ricardo Teixeira entre 2006 e 2012, focando em contratos da CBF, Conmebol e Concacaf com empresas de mídia e direitos de transmissões de TV.

O conselho em questão considerou que o ex-presidente da CBF violou o artigo 27 do Código de Ética, que diz respeito a suborno, e decidiu aplicar a pena máxima - que também foi imposta a outros ex-presidentes da CBF, como Marco Polo Del Nero e José Maria Marín.

Ricardo Teixeira presidiu a Confederação Brasileira de Futebol entre os anos de 1989 a 2012 - por cinco mandatos consecutivos; findo ainda a ocupar cargos nos Comitês Executivos da FIFA e da Conmebol. O brasileiro foi acusado de receber e distribuir propinas em contratos com empresas de mídia, desde que veio à tona o escândalo que levou para a cadeia dezenas de dirigentes do alto escalão da entidade máxima do futebol, no ano de 2015.

Ricardo Teixeira - ex-presidente da CBF.
Ricardo Teixeira - ex-presidente da CBF.

O processo conduzido pelo FBI e a Justiça dos Estados Unidos colocou Teixeira como um dos pivôs de um esquema de corrupção. Um relatório elaborado pelo advogado Michael Garcia em 2014, que só veio à tona em 2017, afirmou que o ex-presidente da CBF violou seis artigos do Código de Ética: artigo 13 (regras gerais de conduta), artigo 15 (lealdade), artigo 19 (conflito de interesses), artigo 20 (oferecer e aceitar presentes e outros benefícios), ártico 21 (propina e corrupção), artigo 22 (comissão).

No final de 2017, o governo norte-americano publicou documentos que ligariam Teixeira a José Maria Marin e Marco Polo Del Nero - com os três envolvidos em um esquema de subornos milionários de agências de marketing esportivo.

Mais sobre: fifa ricardo-teixeira cbf
Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal