Em uma espécie de "jogo de xadrez", dirigentes de federações estaduais vem Rogério Caboclo retornando a presidência da Confederação Brasileira de Futebol. Depois de ser afastado do cargo por denúncia de assédio sexual e moral contra uma funcionária da entidade, o dirigente em questão hoje já conta com apoio de mais de 60% das federações.

Sim, as mesmas federações que em junho votaram pelo afastamento de Caboclo do cargo de presidente, hoje já o enxergam retornando ao poder. A informação é do site "Terra", que entrou em contato com vários presidentes de federações estaduais.

Depois da Assembléia Geral não ocorrer durante essa semana, em uma manobra organizada pelos opositores a Caboclo, como numa espécie de "jogo de xadrez" parece que o movimento foi errado, dando mais forças ao dirigente afastado.

Com nova reunião marcada para a próxima semana, ainda contará com a descaracterização a denúncia de assédio pelos integrantes da Comissão de Ética da CBF, desta forma, são enormes as chances de Rogério Caboclo retornar a presidência da entidade máxima do futebol brasileiro.

Comissão de Ética pede afastamento de Caboclo

Com a mesma Comissão de Ética pedindo ainda o afastamento de Caboclo do poder por 15 meses, embora não tenham o condenado pelo caso de assédio, basta a ele que sete membros de federações votem a seu favor - das 21, para que ele possa se ver livre de qualquer punição.

Segundo o site acima informado, até as 2h30 (da manhã desta quarta-feira), esse número parecia ser bem maior - o dobro, ou seja, essa disputa de xadrez já tem data marcada para encerrar; aguardemos!