Em nota oficial publicada ainda neste último domingo, a Confederação Brasileira de Futebol se disse "surpresa" com a iniciativa da ANVISA em invadir o gramado da Neo Química Arena no início do clássico entre Brasil x Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022.

A intenção desses agentes foi de retirar quatro atletas argentinos de campo, os mesmos que defendem times da Inglaterra e que não cumpriram com a quarentena necessária antes de transitarem em território brasileiro.

São eles: Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero - esses quatro atletas do país vizinho que atuam por equipes inglesas e que não respeitaram as regras brasileiras de saúde sanitária ao adentrarem o território nacional.

Decisão da FIFA

Com a invasão de campo, o duelo em destaque pelo torneio aqui já referido, fora suspenso pela Conmebol, aguardando por uma posição da FIFA, uma vez que o jogo era em "Data FIFA", ficando a entidade máxima do futebol responsável por qualquer decisão.

Confira trecho da nota publicada pela CBF sobre o caso:

"A Confederação Brasileira de Futebol ressalta que ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ocorreu, com a partida já tendo sido iniciada, visto que a ANVISA poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos em dias anteriores ao jogo.

A CBF defender a implementação dos mais rigorosos protocolos sanitários e os cumpre na sua integralidade e lamenta profundamente os fatos ocorridos e que acabaram por provocar a suspensão da partida entre Brasil e Argentina, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022".