Com um aumento muito grande de novos casos do Coronavírus mundo a fora e também na América do Sul, onde países estão restringindo suas atividades, a Conmebol irá se reunir com a FIFA na próxima segunda-feira para decidir que rumo tomar com as duas próximas rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2022, que estão marcadas para ocorrer ao final deste mês de março

Reunião de Confederações Sul-Americanas

Antes da Conmebol se reunir com a entidade máxima do futebol mundial, ainda nesta sexta-feira, as dez federações nacionais de futebol que compõem a Confederação de Futebol Sul-Americana, irão se encontrar (de forma virtual) para tentar chegar a um consenso sobre qual posição tomar diante da situação.

O problema maior nem está em nosso continente, mas sim no continente europeu, onde esse está restringindo viagens para fora de seus determinados países, sendo justamente onde a grande maioria dos craques sul-americanos jogam. Desta formas esses clubes estão liberados da obrigação de cederem jogadores as seleções nacionais.

Para contornar o "problema", a FIFA tenta convencer os governos desses países a criarem exceções que possam permitir esses craques a viajarem, nos mesmos moldes já colocados nos meses de outubro e novembro de 2020, quando os jogos das Eliminatórias ocorreram com a presença de todos os atletas.

Se não conseguirem a liberação de seus jogadores que atuam fora de seus respectivos países, as Confederações Nacionais cogitam a possibilidade de utilizarem somente jogadores que atuam na América do Sul - para as duas próximas partidas válidas pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Hipótese essa totalmente rejeitada pela CBF, que conta com o apoio do Uruguai e Paraguai.

O encontro das Confederações Sul-Americanas é justamente para aparar essas arrestas dentro da Conmebol e unificar os discursos diante do problema oferecido. Aguardemos!