Para continuar tentando estagnar a séria crise em que vive, o Cruzeiro nesta última quarta-feira reelegeu seu presidente - eleito recentemente para um mandato "tampão". Com isso, Sérgio Santos Rodrigues que terá ao seu lado - Lindson Potsch Magalhães e Biagio Teodoro Peluso comandarão o clube mineiro até 2023; tendo eles, uma dura tarefa pela frente.

O trio terá pela frente a missão de reverter à séria crise financeira em que o clube celeste se vê envolvido e de quebra, terão que fazer de tudo para levar o Cruzeiro de volta a "elite" do futebol brasileiro - algo neste momento bastante complicado, uma vez que o clube aqui em questão encontra-se na parte de baixo da tabela de classificação da Série B - do Brasileirão 2020.

Cinco meses de gestão

Nos cinco primeiro meses de gestão - no mandato tampão, Sérgio e seus pares enfrentaram um grande obstáculo, sendo alvo de cobranças de torcedores, que não aceitam o atual momento vivido pela "raposa" e também de credores. Na zona de rebaixamento da Série B, com salários atrasados, dívidas com a FIFA que o impedem de registrar novos atletas, o presidente reeleito nesta quarta-feira passada apresentou um balanço de sua gestão até o dia de ontem e entende a pressão que vem das "arquibancadas", onde daqui para a frente terá que lutar ainda mais contra tudo e contra todas as adversidades que a antiga direção deixou o clube.

Em entrevista ao site "GE", o presidente do Cruzeiro reeleito comentou sobre o cenário que encontrou durante esse período de cinco meses e o que terá que ser feito daqui por diante para manter o time competitivo em meio à situação crítica do clube. Lembrando que em 2021 o Cruzeiro irá celebrar seus 100 anos de existência.

"Acredito que podemos dizer que temos um balanço positivo neste primeiro momento, diante de todas as dificuldades que encontramos quando assumimos o Cruzeiro, não somente no âmbito financeiro, mas também no administrativo e esportivo. Para quem não sabe, iniciamos a Série B com menos seis pontos e sem a presença de nossos torcedores no estádio, o que não nos permitiu arrecadar como tínhamos planejado. A única coisa que gostaríamos é de estar numa posição melhor na tabela de classificação do Brasileirão, mas confiamos muito que podemos conseguir o acesso e continuar com esse trabalho", declarou o mandatário cruzeirense.

Com tantos problemas que surgiram desde que assumiu o comando do clube, Sérgio disse não se surpreender com os desafios que encontrou nesses primeiros meses de administração, onde segundo ele, todas as questões que estão sendo colocadas a público, já eram esperadas pela chapa eleita ainda em maio.

"Os maiores desafios continuam sendo os mesmos. Mas acredito que o de maior destaque é conseguir manter um time competitivo, performar bem nas competições que disputamos, e conseguir casar isso com os problemas administrativos e financeiros, tendo ainda uma geração de receita menor. O desafio é equilibrar tudo isso, pois fazer time com dinheiro é muito fácil. Nós já esperávamos que todo esse processo seria complicado devido as situações já citadas anteriormente, pela forma como clube nos foi passado. Mas a gente se cercou de pessoas boas para gerir o Cruzeiro. Estamos preparados, sabemos que teremos cada vez mais desafios e asseguro que iremos superar todas as dificuldades", comentou.

Após ter sido reeleito, Sérgio Santos Rodrigues utilizou os canais oficiais do clube para fazer um pronunciamento aos sócios e torcedores do Cruzeiro, onde basicamente falou a mesma coisa que havia dito em entrevista ao site acima já aqui citado.