Depois de quase um ano do início do processo, a Justiça proferiu a sentença em primeira instância na causa movida por Rafael Sobis contra o Cruzeiro. Sim, mais uma pendência judicial para o clube celeste resolver em 2020 - depois de tantas que já apareceram nesta temporada.

Na ação que o ex-atacante cruzeirense move contra o clube, ele pede o equivalente a R$ 4,1 milhões pelo não cumprimento do acordo no ato da rescisão de contrato. Essa mesma ação está correndo em segredo de justiça e a mesma foi ajuizada no Rio Grande do Sul, mas posteriormente transferida para Minas Gerais.

Atualmente defendendo as cores do Ceará, Sobis deixou o Cruzeiro no início de 2019, quando se transferiu para o Internacional, no entanto, o mesmo ainda tinha mais 12 meses de contrato com o clube mineiro, que aceitou um acordo para o liberar e neste mesmo ficou decidido que a "Raposa" pagaria os quase R$ 4 milhões pela quebra de acordo da seguinte maneira:

  • R$ 3.296.515,55 - em direito de premiações, férias, cláusula compensatória e 13ª salário referente ao ano de 2018;
  • R$ 697.142,85 correspondente às parcelas de imagem de outubro, novembro e dezembro de 2018

Ambos os pagamentos ficaram divididos da seguinte forma: 10 parcelas (para o primeiro) e 4 parcelas (para o segundo valor). Neste montante, o Cruzeiro teria pago somente a parcela integras dos dois valores - o que daria algo em torno de R$ 504 mil e depois não pagou mais nenhuma das parcelas até aqui - segundo informações dos representantes de Rafael Sobis. Obviamente que essa ação movida pelo ex-jogador do clube, cabe recurso das duas partes contra a condenação, que deverá se arrastar por mais alguns meses.