Como assim, mais uma? Sim, o Cruzeiro depois de ter sido punido pela FIFA com a perca de seis pontos no Campeonato Brasileiro - Série B deste ano, poderá perder mais seis pontos por nova dívida com a entidade máxima do futebol mundial.

A dívida agora é com o Zorya FC - da Ucrânia - referente à contratação de Willian Bigode, no ano de 2014, onde o clube mineiro tem até o dia 29 de maio para quitar uma dívida de 1,8 milhões de euros - algo em torno de R$ 11,2 milhões. Se esse montante não for fechado, poderá o Cruzeiro sofrer novas sanções da FIFA e consequentemente perder mais seis pontos na segunda divisão nacional em 2020.

Se isso acontecer, a "Raposa" iniciaria a Série B - do Brasileirão com menos 12 pontos, ou seja, teria que vencer no mínimo quatro jogos para tirar essa desvantagem na tabela e isso provavelmente implicará no final da temporada, dificultando à volta do clube à elite do futebol brasileiro.

Willian Bigode na época em que defendia o Cruzeiro - imagem: arquivo
Willian Bigode na época em que defendia o Cruzeiro - imagem: arquivo

Vale lembrar, que nesta última terça-feira a FIFA enviou um ofício a CBF decretando a imediata punição ao clube mineiro (perca de seis pontos) por descumprir uma ordem de pagamento de 90 dias referente a uma dívida com o Al-Wahda - de 850 mil euros, no entanto, a pena não extingue o problema, uma vez que o Cruzeiro não é liberado da dívida com a penalização, bem pelo contrário, haverá uma nova data para cumprir com a ordem de pagamento e caso não efetue, poderá ser rebaixado para a Série C - algo que só se agrava com o Zorya FC, uma vez que essa dívida é mais antiga ainda.

Abacaxi esse que ficará na mão do novo presidente do clube, que será conhecido essa noite, na eleição presidencial do clube - tendo dois candidatos: Ronaldo Granata e Sérgio Rodrigues, que segundo reportagem do site "globoesporte.com", estariam cientes do problema e afirmam ter condições de sanar o débito.