Depois de "diretores" vazarem as informações de que o Cruzeiro pode sofrer graves punições da FIFA por dívidas junto a entidade máxima no futebol, o clube veio a publico através de uma nota, divulgada nesta sexta-feira, informar que as dívidas contraídas em negociações de jogadores ao longo dos últimos anos, cobradas por outros clubes junto a FIFA, possuem "vários vencimentos e vão até 2022".

Vale lembrar que nessa última quinta-feira, o presidente do Núcleo Dirigente Transitório - Saulo Fróes, afirmou durante cerimônia de premiação do Troféu Guará, da "Rádio Itatiaia", que o débito era de R$ 60 milhões e precisaria ser quitado até 1º de abril, o que foi desmentido pelo clube neste comunicado.

Cruzeiro.
Cruzeiro.

"Uma das questões importantes que a atual gestão tem para resolver são as dívidas com a FIFA, que vão até 2022. No primeiro semestre deste ano, os valores previstos de processos na entidade somam cerca de R$ 25 milhões, enquanto na segunda metade de 2020 os vencimentos giram em torno de R$ 22 milhões. Em 2021 por enquanto não há processos. No entanto, em 2022, as dívidas do Cruzeiro na FIFA chegam a quase R$ 5 milhões, ou seja, estes valores somados, chegam próximo a R$ 50 milhões. Mas é importante ressaltar que não há uma data única para o pagamento deste valor", garantiu o clube.

Na nota, o clube mineiro admite a possibilidade de perder seis pontos na Série B do Brasileiro, mas garante que, se condenado for, ainda terá "um prazo estipulado pela FIFA para quitar o débito em questão antes que a punição seja de fato aplicada".

"Uma das alternativas é a renegociação com os clubes envolvidos nos processos e o departamento jurídico do Cruzeiro já iniciou este procedimento, procurando também diferentes aberturas legais. Outra é conseguir empréstimos compatíveis com a capacidade financeira atual, a possível venda de jogadores e o incremento de patrocínios de empresas parceiras", complementou.