Tratado como uma das principais contratações do futebol brasileiro nesta temporada, o meia Rodriguinho foi apenas uma das várias decepções do Cruzeiro no ano. Após um bom início de temporada, marcando gols e sendo importante no primeiro semestre, o jogador passou a conviver com graves lesões e não conseguiu sequer entrar em campo na parte final do ano.

Agora, com o rebaixamento para a 2ª divisão e com a brusca queda de receitas para 2020, o Cruzeiro precisa definir a situação de seu jogador. Muito bem avaliado pela diretoria do Corinthians, o atleta teve seu nome vetado pelo técnico Tiago Nunes, que já estabeleceu Luan como peça fundamental no esquema de jogo que irá utilizar no time em 2020.

Rebaixado com o Cruzeiro, Rodriguinho participou pouquíssimo do ano do clube mineiro. Contratado em janeiro, fez oito gols nos primeiros nove jogos. Com limitações físicas, fez cinco jogos no Brasileirão, o último em maio. Passou por duas cirurgias na região lombar e não conseguiu voltar a jogar em 2019.

Sendo assim, o estafe do jogador deve se reunir com a diretoria do Cruzeiro nesta semana para definir o futuro do jogador. Ainda sem propostas, as partes irão definir sobre uma possível rescisão de contrato ou se realizam alguma composição.

Diante da queda de recursos da Raposa para 2020, a tendência é que Rodriguinho deixe o clube mineiro. Há pendências financeiras do clube mineiro com o Pyramids, do Egito, e com os representantes do jogador cruzeirense.

Pelo Corinthians, Rodriguinho atuou esteve entre 2013 e 2018, com 175 partidas e 35 gols. Foi bicampeão brasileiro (2015 e 2017) e também bicampeão paulista (2017 e 2018).