Administração do estádio Mineirão apresenta a conta do vandalismo dos torcedores cruzeirenses

O clube terá que arcar com as despesas para a recuperação do estádio Mineirão, orçada em R$ 300 mil.

Por Müller
Compartilhe

Se não bastasse o momento em que vive o Cruzeiro - com o rebaixamento a "Série B" do Brasileirão, em 2020 e com a incerteza da permanência de seu presidente a frente do clube, a administração do estádio Mineirão, em Belo Horizonte, divulgou nesta terça-feira uma nota com o prejuízo total após a quebradeira no jogo da "Raposa" diante do "Verdão", que culminou com a queda a segunda divisão, no último domingo.

O prejuízo da destruição do Mineirão por parte dos torcedores cruzeirenses foi de aproximadamente R$ 300 mil. Parte da torcida do time celeste promoveu tumulto, quebrando vários equipamentos, no fim da partida que confirmou o rebaixamento do Cruzeiro para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Vale lembrar que a partida foi encerrada antes dos 90 minutos por falta de segurança. Equipe de arbitragem e jogadores dos dois times foram retirados de campo sob escolta. O Batalhão de Choque usou bombas de gás lacrimogêneo e de efeito moral para conter o tumulto. O estádio foi evacuado por ordem do mesmo batalhão.

Os banheiros foram praticamente destruídos.
Os banheiros foram praticamente destruídos.

Veja abaixo a lista do que foi destruído

460 cadeiras de arquibancada

60 lixeiras

30 portas

30 granitos de divisórias dos banheiros

24 televisores

10 bebedouros

8 vidros de guarda-corpo

6 câmeras de segurança

2 totens e cancelas de estacionamento

2 banheiros inteiros

Conforme já divulgamos no início desta matéria, o valor do custo da destruição do Mineirão foi feito através de em comunicado aos torcedores, no site do estádio, no fim da manhã desta terça-feira. Como o Cruzeiro era o mandante do jogo, vai caber a ele o pagamento de todo prejuízo.

A Minas Arena, concessionária que administra o estádio, disse que vai compartilhar com o Cruzeiro os relatórios e orçamentos detalhados.

Veja abaixo trecho da nota divulgada pela administração do Mineirão:

"... para que a restauração de nossos espaços seja rapidamente executada - com o custo mais enxuto possível e sempre em linha com os padrões de contratação do Mineirão, que hoje apresenta um dos custos operacionais mais baratos do país".

Ainda de acordo com o comunicado, a administração do estádio afirmou que 504 seguranças particulares foram contratados para o jogo do último do domingo, além de todo o apoio da Polícia Militar. O estádio ainda ressaltou que ninguém ficou gravemente ferido.

Agora com tudo apaziguado, o Ministério Público disse que irá investigar o episódio e adotará todas as medidas cabíveis para responsabilizar cível e criminalmente todos os envolvidos.

Durante a confusão no final da partida entre Cruzeiro e Palmeiras - pela última rodada do Campeonato Brasileiro, quatro pessoas foram detidas, entre elas um homem contra quem havia um mandado de prisão em aberto. Treze pessoas foram atendidas no Hospital de Pronto-Socorro João XXIII com ferimentos leves. Trinta e duas pessoas foram atendidas no posto médico do estádio durante o jogo. Entre eles, estavam feridos pelo tumulto, mas também atendimento de outros tipos de ocorrência.

Dona Salomé - torcedora símbolo do Cruzeiro faleceu nesta madrugada de terça-feira.
Dona Salomé - torcedora símbolo do Cruzeiro faleceu nesta madrugada de terça-feira.

Uma dessas pessoas atendia foi Maria Salomé da Silva, conhecida como Dona Salomé - torcedora-símbolo do Cruzeiro. Ela teve um mal estar ainda no estádio e foi levada para um hospital particular, onde morreu na madrugada desta terça-feira. Dona Salomé deixou um filho e três netas.

Torcedor: compartilhe
Siga nas redes
Comentários
Carregar comentários
Assista ao nosso último vídeo:
Inscreva-se no canal